A importância dos idosos na sociedade chinesa

A importância dos idosos na sociedade chinesa

Valorizar e respeitar os mais velhos é essencial para o desenvolvimento de um país

A maturidade é sinônimo de sabedoria na China. Idosos são tratados com muito respeito por sua contribuição para a sociedade e por sua vasta experiência acumulada. As pessoas costumam falar com orgulho dos sacrifícios feitos pelos mais velhos em benefício da família. O país alcançou em 2018 a marca de 249 milhões de pessoas com mais de 60 anos e estima-se que esse número tenha um rápido crescimento a partir de 2025.

Valorizar o papel do idoso na comunidade é tradição antiga na China. É atribuída a Confúcio a frase “Ao servir seus pais, um filho os reverencia na vida diária, os faz felizes, cuida deles na doença, e mostra uma grande tristeza na sua morte”. De acordo com o filósofo, o respeito aos mais velhos é uma das características essenciais de uma boa sociedade.

Uma pintura feita durante a Dinastia Song (960 - 1279) representa um filho ajoelhado diante de seus pais
Uma pintura feita durante a Dinastia Song (960 – 1279) representa um filho ajoelhado diante de seus pais

O papel desempenhado pelos idosos chineses em suas famílias é de grande importância. É comum vê-los na porta das escolas durante a semana para buscar os netos enquanto os pais trabalham, ou acompanhando as crianças em atividades extracurriculares nos fins de semana. Entretanto, essa tradição começou a mudar nas cidades grandes: os idosos estão redescobrindo suas vidas pessoais depois dos 60.

Os avós chineses têm papel fundamental na criação dos netos
Os avós chineses têm papel fundamental na criação dos netos

Esse movimento por uma melhor qualidade de vida na terceira idade fez nascer mais atividades especiais para os mais velhos em universidades. A iniciativa não é nova, mas tem se modernizado ao longo dos anos. Entre os cursos mais procurados estão dança e inglês para viajantes, mas as matérias mais tradicionais também estão disponíveis.

Universidades chinesas disponibilizam cursos para alunos com mais de 60 anos
Universidades chinesas disponibilizam cursos para alunos com mais de 60 anos

Além de investir em cursos, os idosos estão viajando mais. Muitos aproveitam as viagens dos filhos e netos durante feriados prolongados para alugar casas em lugares quietos onde possam descansar, pescar e caminhar. Essa quebra na rotina ajuda a enfrentar a “síndrome do ninho vazio” – quadro depressivo que pode ser desenvolvido após a saída dos mais jovens de casa.

É comum ver senhoras dançando em praças públicas na China como forma de se exercitar
É comum ver senhoras dançando em praças públicas na China como forma de se exercitar

A prática regular de exercícios físicos é um dos segredos para a longevidade dos chineses. Muitos idosos costumam frequentar aulas de ginástica ao ar livre e caminhadas na piscina realizadas em academias. Uma boa alimentação, acupuntura, massagens e boas noites de sono fazem parte da rotina dos mais velhos: manter mente e corpo em harmonia é prioridade para eles!

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Veja também

Gastronomia

Com mais de cinco mil pratos típicos, a gastronomia chinesa se destaca pela variedade dos sabores. Bem estar e bom gosto fazem desta culinária um exemplo de equilíbrio dos alimentos.