Culinária vegetariana chinesa é destaque em festival tailandês

Participantes do maior evento gastronômico da Tailândia puderam desfrutar de hambúrgueres, torresmos e outras iguarias feitas a base de plantas

Foto de capa: Xinhua

A culinária vegetariana chinesa conquistou o paladar de muitos participantes da última edição do “Root the Future”, o maior festival de gastronomia vegetariana da Tailândia. O festival foi lançado no momento em que a Tailândia celebra a temporada vegetariana anual. Entre as iguarias que mais fizeram sucesso entre o público estavam hambúrgueres, torresmos, bolinhos recheados e dim sum – um combinado variado de pratos que os chineses costumam chamar de “pequeno almoço”. “Não existe nenhum produto derivado de carne”, disse Sasipan, chef da “Phuture Meat”, empresa de alimentos feitos com proteína alternativa.

“Você vê os hambúrgueres na grelha com um líquido avermelhado e rosado e pode pensar que é sangue de carne”, explicou Sasipan, “na verdade, o líquido avermelhado que sai dos hambúrgueres é feito de beterraba e licopeno”.

A “Phuture Meat” foi criada em 2018 com cientistas de alimentos da China, Cingapura e Malásia, encontrando maneiras de agradar os consumidores de alimentos preocupados com a saúde ao se livrar de todos os produtos de origem animal e, em vez disso, reunir apenas produtos nutritivos, como arroz, grão de bico e proteína de soja não modificada, cogumelos shiitake e feijão mungo. 

“Nosso foco principal é puramente a saúde e a sustentabilidade ambiental”, disse Ye Kai Jie, fundador da “Phuture Meat”, acrescentando que “nossa pesquisa no laboratório de alimentos é criar ‘carne’ picada à base de plantas que não produz colesterol e gordura”.

Cientistas de alimentos em geral concordam que produtos alimentares a base de proteínas alternativas são a fonte mais confiável de alimentos durante uma pandemia. 

“Durante a pandemia, vimos consumidores comprando a ‘carne’ picada à base de plantas para preparar diferentes pratos, como o de manjericão kra-pao frito”, disse Vorakan Tanachotevorapong, cientista de alimentos da “More Meat”. “Mas como você pode ver aqui no festival ‘Root the Future’, o produto pode ser transformado em recheios para dim sum chinês cozido no vapor e bolinhos com molho de soja”.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Veja também