Os impactos da COVID-19 na “Golden Week” chinesa

Neste grande feriado, em que é celebrado o aniversário de fundação da República Popular da China, as pessoas costumam viajar pelo país

Foto de capa: Xinhua

A “Golden Week” (Semana Dourada, em tradução literal) é o feriado chinês que contabiliza uma das maiores migrações humanas anuais, com mais de 700 milhões de pessoas em movimento. Neste ano, porém, a festividade será um grande teste para a China, que precisará se esforçar para recuperar a normalidade enquanto previne novas ondas de coronavírus.

A temporada de férias começou com o Dia Nacional da China em 01/10, marcando 71 anos de fundação da República Popular Chinesa. O período também coincide com o Festival da Lua deste ano, quando muitas famílias costumam se reunir para agradecer e pedir sorte e fartura. Espera-se que cerca de 408 milhões de viagens rodoviárias sejam feitas nesta Golden Week, um pouco acima do volume registrado no ano passado, disse o Ministério dos Transportes da China na quinta-feira. As reservas de voos domésticos aumentaram 10% em relação ao ano passado, de acordo com a plataforma de venda de passagens Qunar.

Viajantes esperam para fazer o check-in nos balcões da China Southern Airlines no Aeroporto Internacional de Pequim Daxing - Foto: Yan Cong/Bloomberg News

Esse aumento no número de viagens domésticas se deve ao fato de que as fronteiras em todo o mundo continuam fechadas por causa da pandemia. E o comportamento já traz preocupação: algumas universidades chinesas reduziram as férias da Golden Week para apenas alguns dias para desencorajar os alunos a deixarem o campus, dizendo que estenderão as férias de inverno para compensar.

O Ministério da Cultura e Turismo da China ordenou na semana passada que os locais turísticos limitassem a capacidade durante a Golden Week em 75 por cento, enquanto mantinha as verificações de temperatura e rotinas de desinfecção frequentes. Os visitantes devem reservar com antecedência com seus nomes reais para facilitar o rastreamento de contatos.

Festival da Lua

O Festival da Lua é uma importante celebração chinesa. É celebrado no 15º dia do 8º mês do calendário lunar – entre setembro e outubro. A comemoração nasceu nas áreas rurais do país: os antigos imperadores e os trabalhadores do campo agradeciam à lua cheia do outono pela boa colheita. Diversas lendas surgiram a partir deste costume. A mais famosa delas fala sobre o arqueiro Hou Yi e sua esposa Chang’e.

Tradicionalmente, as famílias costumam se reunir para jantar, apreciar a lua e soltar no ar as tradicionais lanternas de papel. As pessoas também compartilham alguns quitutes típicos, como o yuèbǐng (“bolo lunar” em tradução literal). O bolo assado tem formato redondo – que simboliza a união – e envolve um recheio denso e adocicado.

O Festival da Lua foi incluído no calendário oficial da cidade de São Paulo em 2019, a partir da Lei 17.197 de autoria da vereadora Adriana Ramalho. Em 01/10/2020 a comemoração ganhou uma sessão solene na Câmara Municipal da capital paulista, e foi celebrada junto ao primeiro Dia Municipal de Comemoração Sociocultural Ibrachina, fortalecendo os laços entre Brasil e China.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Veja também

Cerâmica e Porcelana

A cerâmica é a tradição chinesa mais conhecida do mundo. Produzida na China há mais de 3 mil anos, se destaca pela beleza e qualidade.