5 de janeiro de 2021

Ibrachina e CEDES firmam parceria para educação e profissionalização acadêmica

As instituições se unem em termo de cooperação com o objetivo de incentivar o intercâmbio de conhecimento técnico e científico por meio da realização conjunta de atividades de ensino, pesquisa, extensão, mestrado, doutorado e publicações de livros, revistas e artigos acadêmicos

Ibrachina e o CEDES (Centro de Estudo de Direito Econômico e Social) firmam termo de cooperação para incentivar o intercâmbio de conhecimento técnico e científico por meio da realização conjunta de atividades de ensino, pesquisa, extensão, mestrado, doutorado e publicações de livros, revistas e artigos acadêmicos. O acordo tem a duração de cinco anos.

Termo de cooperação firmado entre as instituições

“As atividades desenvolvidas serão de cunho educacional e representam uma excelente oportunidade para a profissionalização técnica e administrativa de brasileiros e chineses residentes no país”, afirma Thomas Law, presidente do Ibrachina. Law ressalta a relevância deste tipo de parceria para a formação integral, complementar e especialização de jovens estudantes e profissionais já atuantes no mercado de trabalho.

“Sem dúvida é um passo para um grande leque de melhorias e novas experiências, além de significar o fortalecimento de uma relação institucional sólida entre as duas entidades”, finaliza o presidente do Ibrachina.

Para mais informações, acesse o site do CEDES: https://www.cedes.org.br/

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Ruas do Rio de Janeiro passam por processo de desinfecção para evitar proliferação do coronavírus - Foto: Prefeitura do Rio de Janeiro

Observatório do Coronavírus #51

Ministério amplia para 22,9 milhões o volume de testes para coronavírus para enviar aos laboratórios; Quarentena começa oficialmente em São Paulo

Observatório do Coronavírus #156

Recrutamento de voluntários para 1º teste de vacina contra o coronavírus começa na próxima semana. Levantamento aponta que parte dos estudantes brasileiros não têm acesso à educação online na pandemia.