19 de março de 2020

Ibrachina emite nota de repúdio aos ataques discriminatórios contra a comunidade asiática

Presidente do Ibrachina, Thomas Law, se pronunciou em nome do Instituto sobre os recentes ataques contra chineses motivados por fake news

O presidente do Ibrachina, Thomas Law, manifestou hoje uma nota de repúdio em nome do Instituto aos recentes ataques discriminatórios contra a comunidade asiática. As declarações foram feitas com base em boatos que acusavam a China de ter produzido e disseminado o coronavírus. Leia a nota na integra:

NOTA DE REPÚDIO

 

O Instituto SocioCultural Brasil-China (IBRACHINA) vem a público manifestar repúdio a todo e qualquer tipo de ataque discriminatório contra a comunidade asiática.

A comunidade mundial enfrenta uma pandemia. A China recebeu o primeiro impacto, admitiu falhas e adotou medidas em uma escala inédita na história da humanidade para combater o coronavírus. A mobilização do povo chinês se tornou um exemplo para o mundo. Sua experiência em conter o vírus pode ajudar outros países. Os avanços nas pesquisas de tratamentos e vacinas também devem beneficiar todos os povos.

Enquanto as pesquisas prosseguem em colaboração com outros países, a China ajuda os povos amigos. Enviou equipes médicas e suprimentos à Itália, Espanha e ao Iraque, entre outros países.

Culpar o povo chinês, que mais sofreu com o coronavírus, é inadmissível. O filósofo alemão Theodor Adorno definiu esse tipo de ataque com clareza em 1947 ao afirmar que “culpar a vítima é uma das características mais sinistras do caráter facista”.

Neste cenário, as palavras de Martin Luther King soam atuais: “O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons”. O Ibrachina será sempre uma voz na defesa da paz entre os povos e da solidariedade entre as nações.

São Paulo, 19 de março de 2020

Thomas Law
Presidente do Ibrachina

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

O fim de semana na capital paulista teve poucos carros e pessoas nas ruas; quarentena começa oficialmente nesta terça-feira, 24/3 - Foto: Eduardo Knapp / Folhapress

Observatório do Coronavírus #50

Especialistas apontam que desigualdade social no Brasil ainda é um grande obstáculo para medidas contra coronavírus; Hospitais de campanha começam a ser erguidos em SP