20 de outubro de 2020

Núcleo paraense da Coordenação Nacional das Relações Brasil-China da OAB toma posse no Ibrachina

Evento aconteceu no dia 16/10 na sede do Instituto e teve presença do presidente da OAB/PA, Dr. Alberto Antônio de Albuquerque Campos

A Coordenação Nacional das Relações Brasil China da OAB Nacional realizou no Ibrachina a cerimônia de posse dos integrantes do núcleo Pará.

Thomas Law, presidente do Instituto e da CNRBC/OAB, empossou os integrantes do núcleo, composto pelo Dr. Samuel Medeiros Rocha, como presidente e a Dra. Anne Vitória Santiago Morais do Nascimento, vice-presidente.

Prestigiaram o evento Dr. Alberto Antônio de Albuquerque Campos, presidente da OAB/PA, Dr. Alexandre Ogusuku, conselheiro da OAB/SP e presidente da Comissão Nacional de Prerrogativas, o vice-presidente da CNRBC/OAB, Sóstenes Marchezine, e o Dr. Deyvid Pereira, representante do Comitê de Crise do Congresso Nacional.

Participaram virtualmente o secretário nacional da OAB, Dr. José Alberto Simonetti, a Dra. Érika Oliveira de Alencar Silva, representante do Pará na Coordenação Nacional das Relações Brasil-China da OAB, o Dr. Aurelino Santos Junior, a deputada estadual Nilse Pinheiro, presidente da Frente Parlamentar de Cooperação Pará-China, e os deputados federais Eduardo Costa e Evair Vieira de Melo.

Confira mais fotos da cerimônia aqui!

O grupo fez uma visita ao Ibrachina Arena para conhecer as instalações e os projetos desenvolvidos pela entidade junto à comunidade.

 

Coordenação já empossou seis núcleos no Brasil

Este é o sexto núcleo da Coordenação a ser instaurado. Anteriormente, o Ibrachina sediou a posse dos núcleos do Amazonas, do Mato Grosso, do Acre, do Distrito Federal e do Espírito Santo – esta última, inclusive, foi destaque na imprensa chinesa.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #118

Correios do Brasil e da China firmam acordo para viabilizar transporte marítimo de encomendas; Brasil torna-se o 5º país com mais óbitos em decorrência da COVID-19