30 de maio de 2020

Observatório do Coronavírus #118

Correios do Brasil e da China firmam acordo para viabilizar transporte marítimo de encomendas; Brasil torna-se o 5º país com mais óbitos em decorrência da COVID-19

Foto de capa: Terminal de Contêineres de Paranaguá/Divulgação

Os correios brasileiro e chinês firmaram acordo para viabilizar o transporte de encomendas e documentos vindos da China por meio marítimo. A decisão pretende resolver o impasse causado pela restrição do transporte aéreo em decorrência das medidas para reduzir a disseminação da COVID-19, que ocasionou uma parada súbita da economia global e tem levado à retenção de encomendas e correspondências postais com destino ao Brasil em diversos países. A determinação atende solicitação da União Postal Universal – agência especializada das Nações Unidas que coordena o sistema postal internacional – para os países flexibilizarem os modais de encaminhamento e desburocratizar a entrada de cargas postais pelas alfândegas mundiais.

Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

Brasil supera Espanha e se torna o 5º país com mais mortes por coronavírus no mundo. O país registrou 1.124 novas mortes em decorrência da doença em apenas 24 horas, com um total de 27.878 óbitos desde o início da pandemia. O Sistema de Saúde espanhol confirmou um total de 27.121 mortes. Os outros quatro países com mais mortes são EUA (102 mil), Reino Unido (38,2 mil), Itália (33,2 mil) e França (28,7 mil).

Em número de casos, o Brasil é o segundo país mais afetado, de acordo com levantamento da Universidade Johns Hopkins. Em números absolutos, fica atrás apenas dos Estados Unidos, que tem 1,7 milhão de casos. O Ministério da Saúde, no entanto, admite que o número real de casos no Brasil tende a ser maior, já que ainda há testes represados em alguns locais e possibilidade de subnotificação.

Foto: GovernoSP/Divulgação

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou que o plano de retomada econômica do Estado vai dividir a região metropolitana de São Paulo em cinco blocos. A divisão foi solicitada e aprovada pelos prefeitos dos 38 municípios que compõem a região metropolitana. A capital não entra nessa divisão.

Essa subdivisão vai permitir uma classificação individualizada das regiões, de acordo com características demográficas e critérios técnicos de saúde, como a capacidade hospitalar para atendimento de pacientes com COVID-19 e a taxa de avanço de casos e mortes provocadas pelo coronavírus. As análises regionalizadas serão realizadas semanalmente e indicarão reclassificação da atual fase vermelha, de nível máximo de restrição, para as que permitem abertura controlada de atividades não essenciais.

Foto: Douglas Magno/AFP

Pesquisadores apostam em uma vacina desenhada com DNA sintético para obter a imunização contra o Sars CoV-2, de acordo com estudo publicado na “Nature Communications”. Os cientistas usaram como bases vacinas idealizadas contra o Sars e o Mers – dois vírus da mesma família que causaram epidemias em 2002, na China, e em 2012, no Oriente Médio, respectivamente.

A vacina INO-4700,feita inicialmente contra o Mers, está em testes clínicos, mas apresentou resultados positivos. Camundongos e porquinhos-da-índia receberam uma dose e produziram anticorpos capazes de neutralizar o vírus, assim como outros componentes do sistema imunológico, as células T (linfócitos T). A eficiência contra o Sars CoV-2 em comparação com o Mers é de 96%, e a imunidade contra o vírus é mantida por 60 semanas.

Foto: Leah Millis
Foto: Leah Millis

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou ontem (29/05) uma série de medidas contra a China. Em declarações a repórteres na Casa Branca, ele comunicou que vai suspender vistos de cidadãos chineses que são um “risco à segurança americana”, além de orientar um grupo de trabalho a avaliar as práticas de empresas chinesas no país. Além disso, o grupo de trabalho presidencial para os mercados financeiros a avaliar as práticas de companhias chinesas listadas nos EUA. Para ele, a intenção é “proteger investidores”, que não devem estar expostos ao “risco associado a investir em companhias chinesas que não jogam com as mesmas regras”.

Trump voltou a acusar a China de “encobrir” o “vírus de Wuhan”, uma referência ao novo coronavírus, o que permitiu que a doença se disseminasse pelo mundo e provocasse uma pandemia. Segundo o presidente norte-americano, a China ignorou suas obrigações de reportar esse problema à OMS e pressionou a organização a enganar o mundo quando o vírus foi descoberto. Com isso, muitas pessoas morreram e grandes prejuízos econômicos ocorreram, de acordo com ele.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chegou perto dos 27 mill em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 115 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram o ranking de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 465 mil casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa agora a 5ª colocação.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

TV Brasil entrevista presidente do Ibrachina

TV Brasil entrevista presidente do Ibrachina

Thomas falou sobre a importância da parceria comercial entre Brasil e China, perspectivas para o próximo governo e as oportunidades de crescimento para os dois países