1 de julho de 2020

Observatório do Coronavírus #151

Governo de SP declara que pico do coronavírus no Estado está perto do platô e estabelece horários de abertura de bares e restaurantes. OMS afirma que ápice da contaminação no Brasil acontecerá em agosto.

Foto de capa: Tomaz Silva

O governo do estado de São Paulo determinou que os bares e restaurantes só poderão funcionar durante o dia nas cidades que alcançarem e se mantiverem na fase amarela do Plano São Paulo de flexibilização da quarentena. A gestão João Doria também indica que o horário de funcionamento não deve ultrapassar o período de seis horas.

Doria afirmou na manhã desta quarta-feira que o Estado está “muito próximo” de atingir o “platô” de casos e mortes provocadas pelo coronavírus. Entretanto, a expectativa de desaceleração da doença é anunciada pelo governo desde a segunda semana de junho. Em coletiva de imprensa no dia 15 do mês passado, a equipe de saúde afirmou que a curva no estado apresentava tendência de estabilidade.

Na última sexta-feira, a capital foi promovida para a fase amarela do Plano, que permite a reabertura de salões de beleza, bares e restaurantes, mas, na prática, só pode avaliar o retorno do funcionamento desses locais se permanecer uma semana no estágio de contenção do coronavírus que alcançou. Os proprietários dos estabelecimentos se dizem apreensivos, e alguns até questionam se vale a pena abrir os locais apenas durante o dia.

Foto: Tânia Rego

Ao registrar mais de 33.800 infecções pelo novo coronavírus e 1.280 mortes em 24 horas, o Brasil inicia julho como o principal influenciador do crescimento da COVID-19 na América Latina. Apesar do acúmulo de 1.400.000 casos confirmados e de 60 mil óbitos, especialistas afirmam que o país ainda não passou pelo pico da doença, previsto para agosto pela Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), braço da Organização Mundial da Saúde. Segundo a diretora da Opas, Carissa Etienne, nas condições atuais, o Brasil deve enfrentar o pico de casos do vírus junto com Argentina, Bolívia e Peru. Com as previsões, as mortes pela doença em todo continente americano serão quase triplicadas até três meses.

Foto: Gilead Sciences via AP

Os Estados Unidos compraram praticamente todo o estoque global de remdesivir, um dos medicamentos que deram sinais de serem efetivos para o tratamento de Covid-19, pelos próximos três meses. Segundo a agência Reuters, o governo Trump adquiriu mais de 500 mil doses, que representa toda da produção da fabricante, a Gilead, para julho, e 90% da capacidade de agosto e setembro.

O remdesivir é indicado para impedir que certos vírus, inclusive o novo coronavírus, façam cópias de si mesmos, o que pode sobrecarregar o sistema imunológico. O remédio não funcionou em testes como tratamento para Ebola.

Foto: AP

O futebol na China já tem a retomada marcada para o próximo dia 25, de acordo com informações reveladas nesta quarta-feira pela Associação Chinesa de Futebol (CFA, na sigla em inglês), cinco meses após o previsto para o seu início, e a grande novidade é que o Campeonato Chinês será realizado em apenas duas cidades: Suzhou e Dalian.

Através de um comunicado oficial, os dirigentes chineses justificaram a decisão de começar o campeonato com o sucesso na luta contra o novo coronavírus. “A batalha na prevenção e controle da epidemia atingiu grandes resultados no país e a situação continua a melhorar”, informou a federação.

A filantropia tem sido uma das principais medidas de alívio às camadas vulneráveis durante a pandemia do novo coronavírus. No Brasil, as doações para iniciativas beneficentes passam dos R$ 5,7 bilhões, segundo a Associação Brasileira de Captadores de Recursos.

Os micro e pequenos empresários, contudo, ficaram desassistidos. Uma modalidade comum de filantropia nos Estados Unidos e Europa – e que ainda não ganhou musculatura no país – é a criação de “relief funds” (jargão em inglês para fundos de alívio empresarial), que dão apoio por meio de doação ou concessão de empréstimos a juros baixos para ajudar empreendedores a passarem por momentos difíceis.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 33 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Relógios de rua em São Paulo alertam para medidas de prevenção contra o coronavírus - Foto: Fábio Vieira / Estadão Conteúdo

Observatório do Coronavírus #43

Número de casos no Brasil passa dos 230 e Ministério da Saúde confirma transmissão local; Argentina, Colômbia e outros países da América Latina anunciaram restrições nas fronteiras

Foto: Carolina Antunes/PR

Observatório do Coronavírus #75

Novo Ministro da Saúde, Nelson Teich, quer aliar isolamento social com incentivo à economia contra COVID-19; SP amplia pela 2ª a quarentena no Estado