6 de julho de 2020

Observatório do Coronavírus #156

Recrutamento de voluntários para 1º teste de vacina contra o coronavírus começa na próxima semana. Levantamento aponta que parte dos estudantes brasileiros não têm acesso à educação online na pandemia.

Foto de capa: Filippo Bacci/Getty

O governo de São Paulo anunciou nesta segunda-feira que o recrutamento de voluntários para a terceira fase de testes da vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela farmacêutica chinesa de biotecnologia Sinovac começa na próxima segunda-feira (13/07).Segundo o governador João Doria, após o recrutamento, a vacina deve começar a ser aplicada nos voluntários no dia 20 de julho.

Apenas profissionais de saúde que estejam na ativa poderão participar do estudo. Outros pré-requisitos são que os voluntários não tenham se contaminado pela Covid-19 anteriormente, mulheres não estejam grávidas ou planejem engravidar nos próximos três meses, e que os voluntários morem perto de um dos 12 centros de pesquisa que conduzirão o projeto.

Foto de capa: MCTIC

Após pouco mais 100 dias de suspensão das aulas presenciais pelo país para conter a pandemia do coronavírus, um levantamento feito pelo portal G1 junto às secretarias estaduais de educação aponta que 15 dos 25 estados que implantaram atividades à distância monitoram a adesão dos estudantes ao ensino remoto. Os índices mostram também que as aulas on-line não são acompanhadas por todos os alunos.

Isso significa que, apesar dos esforços das redes, parte dos estudantes pode não ter acesso à educação na pandemia. As razões são várias – e incluem falta de estrutura em casa, de computadores ou de conexão. A alternativa para os alunos é recorrer às atividades impressas ou à transmissão por outras mídias, como TV aberta ou via rádio. Nesses casos, também é difícil mensurar quantos estudantes estão efetivamente assistindo ao conteúdo.

Foto: Minervino Júnior/CB/D.A Press

Pesquisas mostram que a vulnerabilidade econômica aumenta o risco de morte por COVID-19, maior entre a população preta e parda e minorias sociais e étnicas. A perda de vidas é a face mais cruel do abismo socioeconômico existente no país, que ainda agrava problemas históricos, como a fome e a marginalização do acesso à educação, além de restringir o direito a um atendimento de saúde com qualidade a quem possa pagar por isso.

Um dado surpreendente que revela como as condições de sobrevivência diante do novo coronavírus são desiguais é o aumento no tráfego de jatos executivos e de operações aeromédicas durante a pandemia. Serviço caro, que pode chegar a R$ 100 mil, ou prestado pelos melhores planos de saúde, aos quais a maioria da população não tem acesso, o atendimento médico em aeronaves especiais chegou a ter um aumento de 536% nos últimos meses.

Foto: REUTERS/Stringer

De acordo com a autoridade aduaneira chinesa, o país suspendeu as importações de duas unidades processadoras de carne suína do Brasil pertencentes à JBS e à BRF, restringindo os embarques em meio a preocupações com o novo coronavírus.

A BRF informou que a fábrica de Lajeado é a primeira da companhia a ser suspensa desde o início do COVID-19. A JBS já tem duas plantas suspensas. A publicação chinesa, que apenas identificou os frigoríficos por seu SIF, não dá o motivo para a suspensão. 

A SinoVac Biotech iniciou os testes de Fase 3 de sua potencial vacina contra o coronavírus, tornando-se uma das três empresas a avançar aos estágios finais da corrida para desenvolver uma imunização contra a doença. A farmacêutica informou em um comunicado publicado no aplicativo chinês de mensagens WeChat que começará a recrutar voluntários neste mês.

Com quase 700 mil casos de infecções pelo novo coronavírus, a Índia ultrapassou a Rússia e se tornou o terceiro país mais atingido pela pandemia de COVID-19 em todo o mundo. Estados Unidos e Brasil são os países com o maior número de casos confirmados. Nas últimas 24 horas, a Índia registrou 24 mil novos contágios. O país, porém, tem um número relativamente baixo de mortes em razão da doença, com 19.693 óbitos até hoje.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 26 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #155

Pandemia impulsiona medicina tradicional chinesa contra sintomas da COVID-19. No Brasil, especialistas especulam qual será estratégia de vacinação contra o coronavírus.

Foto: Herculano Barreto Filho/UOL

Observatório do Coronavírus #81

Profissionais de saúde enfrentam riscos de contágio na linha de frente do combate; Curva de óbitos por Covid-19 no Brasil está mais rápida que a da Espanha