9 de julho de 2020

Observatório do Coronavírus #159

Parques e academias da capital paulista reabrem na próxima segunda-feira. Rio de Janeiro estipula multa para pessoas que permanecerem nas praias.

Foto de capa: NurPhoto

O prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas, anunciou hoje que academias e 70 dos parques municipais serão reabertos na segunda-feira, 13/07. O Parque Ibirapuera, na Zona Sul, e o Parque do Carmo, na Zona Norte, funcionarão em horário ampliado, de segunda a sexta-feira, das 6h às 16h. Os demais parques ficarão abertos entre 10h e 16h, também fechados aos finais de semana. Os bebedouros, parques infantis e espaços para prática de esportes coletivos seguem fechados. Os parques terão entrada controlada, funcionarão com 40% de sua capacidade total. Demais regras serão publicadas no Diário Oficial desta sexta-feira (10/07). Ao todo, a capital paulista tem 107 parques municipais.

Foto: Ellan Lustosa/Código19/Estadão Conteúdo

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, detalhou a nova fase de flexibilização das atividades econômicas. “Medidas que retornam aos poucos a rotina da cidade “, explicou o prefeito. A partir do próximo fim de semana, a prefeitura informou que irá multar os banhistas que desrespeitarem a regra de não permanecer nas praias, com o valor de R$ 107,00. Segundo ele, a permanência de banhistas nas areias da praia só deve ser permitida após a vacina contra a COVID-19. O primeiro estágio da terceira etapa permite que bares e restaurantes sirvam clientes nas mesas, libera mais atividades na areia e permite reabertura de academias. Há, no entanto, regras que a população deve cumprir.

Foto: Issei Kato/Reuters

O Japão não vê necessidade de decretar um novo estado de emergência, disse hoje o principal porta-voz do governo japonês, secretário-chefe do gabinete Yoshihide Suga, quando questionado sobre um aumento diário recorde nos casos de coronavírus em Tóquio. Cerca de 80% dos novos casos de coronavírus relatados nesta quinta-feira estavam entre pessoas com 30 anos ou menos, afirmou Suga, acrescentando que não era possível reduzir os riscos de infecção a zero após a suspensão nacional do estado de emergência em maio.

Foto: Robert Bonet/NurPhoto

Pesquisadores de pelo menos cinco países, incluindo o Brasil, apontaram a presença do novo coronavírus em amostras de esgoto coletadas semanas ou meses antes do primeiro caso registrado oficialmente na cidade chinesa de Wuhan, epicentro da pandemia de COVID-19. O estudo que mais chamou a atenção foi liderado por pesquisadores da Universidade de Barcelona. Segundo eles, havia presença do novo coronavírus em amostras congeladas — coletadas na Espanha — de 15 de janeiro de 2020 (41 dias antes da primeira notificação oficial no país) e de 12 de março de 2019 (nove meses antes do primeiro caso reportado na China).

Uma das hipóteses é que pacientes podem ter recebido diagnósticos errados ou incompletos de doenças respiratórias, algo que teria contribuído para o espalhamento inicial da doença. Outra é que o vírus não tenha se espalhado com força a ponto de originar um surto. Há também duas possibilidades de problemas na análise: uma eventual contaminação da amostra ou um resultado falso positivo, por causa da similaridade genética com outros vírus respiratórios ou de falhas no kit de teste. Por fim, há quem fale em um vírus à espera de ativação.

O risco de uma segunda onda do novo coronavírus no país fez a China decidir nesta quinta-feira pelo cancelamento de eventos esportivos internacionais programados para 2020. A Administração Geral do Esporte divulgou um programa chamado “plano de retomada dos eventos esportivos baseado na ciência e na ordem” e as únicas exceções são os preparatórios e classificatórios para os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, que serão realizados em 2022.

Por conta desse documento, muitos eventos esportivos internacionais serão afetados. Entre as modalidades mais afetadas estão o tênis e a Fórmula 1. O GP da China, na cidade de Xangai, adiado desde abril, deve ser oficialmente cancelado e não disputado na atual temporada, que sofreu diversas mudanças em seu calendário e teve a estreia somente no último final de semana, na Áustria.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 44 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #149

China aprova primeira vacina contra COVID-19 para uso estritamente militar. ANS decide que planos de saúde devem atender testes de infecção pelo coronavírus.