10 de julho de 2020

Observatório do Coronavírus #160

Ministério da Saúde passa a recomendar que pessoas procurem atendimento médico mesmo com sintomas leves de COVID-19. OMS reconhece transmissão do novo coronavírus pelo ar.

Foto de capa: Marcello Casal Jr.

O Ministério da Saúde muda sua estratégia e passa a recomendar que pacientes procurem atendimento médico ao sentir qualquer um dos sintomas da COVID-19, mesmo aqueles considerados leves. Antes, a orientação era a de que quem tivesse os sintomas mais brandos ficassem em casa e procurasse auxílio apenas em caso de efeitos mais graves, atribuíveis à doença, como falta de ar. Além desta última, entre as manifestações mais recorrentes da doença, estão febre, tosse, cansaço, dor no corpo e mal-estar, dor de garganta, dor de cabeça e, em alguns casos, espirro, coriza e diarreia.

Foto: Denis Balibouse/Reuters

A Organização Mundial da Saúde divulgou hoje novas diretrizes sobre a transmissão do novo coronavírus, que reconhecem alguns relatos de transmissão pelo ar. A instituição, no entanto, não chegou a confirmar que o vírus se propaga pelo ar. Com base na revisão das atuais evidências, a OMS afirmou que o vírus se espalha entre as pessoas por contato direto ou indireto com superfícies contaminadas ou o contato próximo com pessoas infectadas que espalham o vírus pela saliva, secreções respiratórias ou gotículas liberadas quando uma pessoa infectada tosse, espirra, fala ou canta.

O documento foi divulgado após carta aberta de cientistas especializados na propagação de doenças pelo ar – os chamados aerobiologistas – que solicitaram ao organismo global atualizar suas orientações sobre como a doença respiratória se propaga, para incluir a transmissão por aerossol.

O Governo da Dinamarca criou o Passaporte Covid-19 negativo, que vai funcionar como uma garantia que os viajantes dinamarqueses possam visitar outros países que abriram as fronteiras e têm baixa incidência de contágio de COVID-19. O documento pode ser obtido de forma digital no site do Ministério da Saúde da Dinamarca, de forma gratuita, depois que o residente dinamarquês realizar um teste e o resultado for negativo. O objetivo do documento é facilitar a vida dos dinamarqueses que pretendem ir para países onde o teste é necessário.

Foto: Câmara Nacional de Aquicultura

A China anunciou hoje que descobriu vestígios de coronavírus em embalagens de camarão do Equador, em um contexto de preocupação com as importações de produtos congelados. Nos portos chineses de Dalian e Xiamen, a Administração Aduaneira testou amostras de um contêiner e de pacotes de camarão branco do Pacífico que deram positivo para o novo coronavírus. 

Traços do vírus foram isolados em uma placa de corte de salmão importada. A Alfândega já testou mais de 220.000 amostras de produtos alimentícios e suas embalagens, mas nenhum outro produto foi positivo. A China está preocupada com a segurança alimentar desde que foi descoberto um foco, no mês passado, em um gigantesco mercado atacadista no sul de Pequim.

Foto: Reuters

Tedros Adhanom Ghebreyesus advertiu que a pandemia do novo coronavírus segue fora de controle e, em prantos, pediu unidade para a humanidade, dias depois de os Estados Unidos entrarem com pedido formal de saída da OMS. “A grande ameaça que enfrentamos agora não é o vírus em si, mas a ameaça é a falta de liderança e solidariedade em níveis globais e nacionais”, disse o diretor da OMS em Genebra, na Suíça.

Nos últimos dois dias, foram 170 mil casos novos confirmados de covid-19, o que representa uma queda em relação aos 200 mil do fim de semana anterior. Ainda assim, os números são considerados altos demais. As Américas são o continente mais afetado, com 6,12 milhões de contágios confirmados e 272 mil mortes oficiais.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 42 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas