17 de julho de 2020

Observatório do Coronavírus #167

Brasil ultrapassa marca de 2 milhões de infectados pelo coronavírus. Ministro interino da Saúde Eduardo Pazuello declara que testagem não é essencial para controle da pandemia.

Foto de capa: Lusa

O Brasil passou hoje dos 2 milhões de casos de COVID-19, segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa. Em 24 horas — de ontem para hoje —, foram contabilizados mais 43.829 registros da doença. Com isso, o total de infectados chegou a 2.014.738. Além disso, as secretarias estaduais de Saúde somaram mais 1.299 mortes nesse mesmo período. Com isso, o total de vítimas da infecção provocada pelo coronavírus chegou a 76.822.

Foto: Júlio Nascimento

O ministro interino da Saúde, general Eduardo Pazuello, declarou que a testagem não é essencial para o controle da pandemia do coronavírus. Na contramão do que recomenda a Organização Mundial da Saúde e cientistas, o ministro afirmou que o diagnóstico da doença pelo médico, com análise clínica e auxílio de outros exames, permite um tratamento antecipado e mais eficaz.

A OMS vem repetindo que a testagem é ponto central no combate à pandemia. Inclusive os países que foram bem sucedidos no combate à doença, como Alemanha e Coreia do Sul tiveram a testagem como uma das prioridades, além do isolamento e rastreio de contatos.

Foto: Departamento de Engenharia Química da Universidade Monash/Divulgação via Reuters

Cientistas da Austrália criaram um teste que pode determinar uma nova infecção por coronavírus em cerca de 20 minutos usando amostras de sangue, no que eles dizem ser uma inovação mundial. Os pesquisadores da Universidade Monash disseram que o teste pode determinar se a pessoa está infectada no momento e se já teve COVID-19 no passado. A equipe de pesquisa foi liderada pelo BioPRIA e pelo Departamento de Engenharia Química da Universidade Monash, incluindo pesquisadores do Centro de Excelência ARC em Ciência Convergente BioNano e Tecnologia (CBNS).

Foto: Lusa

O platô que a epidemia de coronavírus atingiu no Brasil é uma janela de oportunidade para tentar dominar o contágio, afirmou hoje o diretor-executivo da OMS, Michael Ryan. Segundo ele, é um erro acreditar que, só porque a infecção parou de crescer de forma exponencial, ela vai recuar sozinha: “Em vários países do mundo, inclusive o Brasil, o vírus está no controle, é o vírus que dá as cartas. É preciso recuperar esse controle”.

O diretor da entidade também afirmou que “profissionais de saúde estão pagando muito caro pela epidemia no Brasil” – funcionários da saúde são cerca de 10% das quase 77 mil mortes por COVID-19 já registradas no país.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 34 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #135

Governo federal já recebeu 135 milhões de máscaras cirúrgicas compradas da China; SP estabelece regras para proteger entregadores e consumidores de delivery

Observatório do Coronavírus #183

Fiocruz anuncia produção nacional da vacina contra coronavírus para dezembro deste ano. Quase 100% das cidades brasileiras têm registro de casos de COVID-19.