29 de julho de 2020

Observatório do Coronavírus #179

Pesquisadores brasileiros descobrem como prever quais pacientes terão complicações pós-COVID-19. Ao menos 9 países já testam vacinas contra coronavírus em humanos.

Foto de capa: Silvio Avila

Um estudo divulgado na revista científica Nature conseguiu detectar um momento em que uma análise sanguínea pode detectar se um paciente pode ter mais ou menos riscos antes que eles se manifestem diretamente. Como relataram os pesquisadores brasileiros Tiago Castro, da Universidade Rockefeller, e Carolina Lucas, da Universidade de Yale, por volta do dia 9 ao dia 12 após o contágio, já é possível detectar fatores inflamatórios que podem determinar os rumos da doença, e se o quadro do paciente tende a melhorar ou se agravar.

A descoberta é chave para tratar a doença de forma mais eficaz. Recentemente, estudos concluíram que o uso de corticoides, como a dexametasona, pode ser eficaz para evitar mortes de pacientes que desenvolvem quadros graves da doença, justamente por lidar com essa reação exagerada do sistema imunológico. O uso precoce da medicação, no entanto, pode ter o resultado contrário, já que o efeito imunossupressor do medicamento pode impedir que o organismo combata o vírus de forma eficaz. Portanto, encontrar o momento ideal para aplicação do medicamento pode ser crucial para salvar vidas.

Ao menos nove países que desenvolvem uma vacina para o coronavírus já testam em humanos, segundo a atualização mais recente da Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas apenas o Reino Unido, a China e os Estados Unidos chegaram à terceira e última etapa. Segundo a agência de saúde da ONU, são 164 pesquisas em desenvolvimento. Destas, 25 já em estágio clínico mas apenas cinco na Fase 3. É somente depois desta prova, em um número maior de participantes, que uma vacina pode ou não ser licenciada e liberada para a comercialização.

Foto: Leo Motta

Recife foi a capital brasileira que, proporcionalmente, abriu mais leitos para pacientes com confirmação ou suspeita de Covid-19. De acordo com levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), a capital pernambucana criou mais de 1.150 leitos durante a pandemia, ficando atrás apenas da cidade de São Paulo, que abriu quase 1.800 leitos. Em anúncio feito na manhã desta quarta-feira (29), o prefeito Geraldo Julio destacou que os leitos garantiram o atendimento à população, salvando vidas.

A gestão municipal ergueu sete hospitais de campanha e ainda abriu leitos de covid-19 em outras duas unidades de saúde. Tamanho esforço da rede municipal ainda permitiu que a rede hospitalar do Recife ajudasse outras cidades pernambucanas. O estudo do CFM comprova que Pernambuco é o segundo estado brasileiro em ampliação da rede hospitalar na pandemia.

Foto: Tyrone Siu/Reuters

Hong Kong começou a implementar medidas mais estritas de distanciamento físico. Nesta quarta-feira (29) a chefe do Executivo do território, Carrie Lam, afirmou que a cidade está a ponto de registrar uma epidemia de grande alcance. O uso de máscara em público se tornou obrigatório, restaurantes só podem oferecer refeições para retirada dos clientes, e as reuniões com mais de 10 pessoas – com exceção dos encontros de famílias – não serão autorizadas. As infrações podem receber multas de até US$ 645 (R$ 3.300). O governo anunciou que construirá, com a ajuda da China, um hospital de campanha com 2.000 leitos

Foto: Carl Court

A contaminação em massa ocorrida no navio Diamond Princess, que teve mais de 700 pessoas infectadas pelo novo coronavírus de um total de 3.711 integrantes a bordo, teve início com um único indivíduo. Foi o que concluiu um estudo do Instituto Nacional de Doenças Infecciosas do Japão, publicado ontem na revista científica PNAS, que é a publicação oficial da Academia Nacional de Ciências dos Estados Unidos. O cruzeiro asiático ficou por quase todo o mês de fevereiro em quarentena no porto de Yokohoma, no Japão, depois que um passageiro que havia desembarcado por alguns dias em Hong Kong teve um diagnóstico positivo para a covid-19. O surto gerado nas semanas seguintes resultou na morte de 13 pessoas contaminadas a bordo.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 40 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas