30 de julho de 2020

Observatório do Coronavírus #180

Governo Federal anuncia reabertura de fronteiras para estrangeiros. Somente 35% dos profissionais de saúde no Brasil têm acesso a testes para COVID-19.

Foto de capa: Edmar Barros

O governo federal anunciou hoje a reabertura de fronteiras para estrangeiros, um dia depois do país atingir a marca de 90 mil mortos em decorrência do coronavírus. Foi autorizada a entrada de estrangeiros em todos os aeroportos do país, com exceção dos situados em cinco estados: Mato Grosso do Sul, Paraíba, Rondônia, Rio Grande do Sul e Tocantins.

Nestes locais, os voos internacionais continuam proibidos até o final de agosto. Os motivos para a restrição não foram informados. Enquanto isso, o Brasil segue fora da lista de países cujos cidadãos podem entrar nos países da União Europeia. Em lista atualizada hoje, o bloco reduziu para 12 os países sem restrições de viagens. Os Estados Unidos também continuam vetados.

Foto: Jose Wagner

Um a cada três profissionais da saúde no Brasil (35,2%) dizem ter acesso a testes para diagnosticar a Covid-19, de acordo com pesquisa do Núcleo de Estudos da Burocracia (NEB), da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Os dados foram coletados por questionário online, respondido voluntariamente pelos profissionais. A maioria da amostra é composta por mulheres (77%), sendo que 37% dizem ser negras.

Os profissionais de saúde do Norte e Nordeste tiveram menos acesso aos testes do novo coronavírus, em comparação com outras regiões. Um dos elementos que os dados nos sugerem é que a pandemia exacerba desigualdades regionais históricas no Brasil. Embora a situação não seja favorável em nenhuma região, as regiões Norte e Nordeste aparecem ainda como aquelas que sofrem piores situações na pandemia e as que fornecem as piores condições para os trabalhadores da linha de frente da saúde”, disse o texto do relatório.

Foto: Prefeitura de Goiânia

Após 4 meses de quarentena, a Prefeitura de São Paulo anunciou que vai ampliar a distribuição do vale-alimentação para todas as crianças que estudam na rede pública municipal de ensino. O projeto inicial era atender apenas os alunos cadastrados no Bolsa Família. Em junho, a gestão municipal divulgou a ampliação para mais 250 mil alunos. De acordo com a gestão municipal, das 960 mil crianças matriculadas na rede, 619 mil receberam o cartão alimentação para substituir a merenda por terem cadastro na assistência social como vulneráveis. Segundo o prefeito Bruno Covas, a partir desta quinta, todas as famílias com filhos matriculados na rede municipal poderão solicitar o cartão, mesmo sem estarem no Cadastro Único (CadÚnico) do Ministério da Cidadania.

O Estado de emergência em saúde pública internacional devido ao aumento de casos do coronavírus no mundo completou seis meses nesta quinta-feira (30). Em 30 de janeiro, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou o estado de emergência global, o coronavírus estava em circulação na China e em 18 países. Nenhuma morte fora da China havia sido registrada ainda. Seis meses depois, o vírus está em circulação em 216 países e já são mais de 655 mil mortes.

A OMS diz que entende como “emergência pública internacional” apenas “eventos extraordinários”, quando há um risco para a saúde em outros países devido à propagação de doenças, exigindo uma ação coordenada. Supõe uma situação “grave, repentina, incomum ou inesperada, que tem repercussões para a saúde pública além das fronteiras nacionais do Estado afetado e que pode exigir uma ação internacional imediata”.

A União Europeia alertou seus países-membros para o risco de falta de seringas, lenços e equipamentos de proteção necessários para uma possível vacinação em massa contra covid-19 e fez um apelo para que cogitem aquisições conjuntas, de acordo com um documento do bloco. A UE pediu aos governos que estudem comprar juntos mais vacinas contra gripe e aumentar o número de pessoas vacinadas para diminuir o risco de surtos simultâneos de gripe e covid-19 no outono local.

Nenhuma vacina contra covid-19 já foi totalmente desenvolvida ou aprovada, mas países de todo o mundo estão tentando garantir suprimentos de vacinas em potencial para, se e quando candidatas a vacina se mostrarem eficientes, poderem iniciar campanhas de imunização rapidamente —o que alguns esperam acontecer ainda neste ano.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 40 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #246

Infecções por coronavírus avançam em capitais brasileiras. Anvisa visitará China para conhecer instalações de laboratório que desenvolve CoronaVac