7 de agosto de 2020

Observatório do Coronavírus #188

Volta às aulas presenciais é adiada para outubro em SP. Instituto Butantan defende confiabilidade de vacina contra coronavírus desenvolvida por laboratório chinês.

Foto de capa: Amanda Perobelli

A volta às aulas presenciais no estado de São Paulo será adiada para outubro. A informação foi confirmada por membros da gestão João Doria. O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira as novas definições para o calendário de reabertura das escolas.

Existia a previsão de que as aulas retornassem no dia 8 de setembro, mas a condição era que pelo menos 80% das cidades do estado estivessem há 28 dias na fase amarela de flexibilização da quarentena. O adiamento foi necessário já que o estado não deve conseguir chegar a esse patamar.

A prefeitura da capital paulista também disse que não teria condições de retorno às aulas presenciais em setembro. A equipe da saúde da gestão Bruno Covas afirma que a data será definida após o inquérito sorológico com crianças e adolescentes ser finalizado. A pesquisa vai apontar a porcentagem de jovens que já foram infectados pela COVID-19 na cidade.

Foto: Instituto Butantan/Divulgação

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, destacou que a ciência da China está nos níveis mais altos do mundo e defendeu a confiabilidade da CoronaVac, vacina contra a COVID-19 desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech que está em fase de ensaios clínicos no Brasil. Durante uma audiência online ante uma comissão da Câmara dos Deputados que supervisiona as ações para combater a pandemia do novo coronavírus, Covas defendeu a qualidade dos produtos chineses e da ciência no país asiático.

Foto: Ari Dias

Com uma taxa de ocupação de leitos UTIs que beira 90% e sem isolamento social, vidas “estão em risco” em Curitiba, aponta um estudo da iniciativa Ação Covid-19, dedicada a estudar a evolução da doença no Brasil. Os pesquisadores realizaram simulações para diferentes cenários de isolamento social na capital do Paraná. O objetivo era identificar o grau de vulnerabilidade de áreas e grupos. Segundo eles, nas atuais circunstâncias, com shopping centers e academias de ginásticas de portas abertas, existe o risco real de que o sistema de saúde da cidade entre em colapso.

Foto: China Daily

Com o último paciente recebendo alta do hospital, aproximadamente 340 pessoas detectadas em novas infecções da COVID-19 relacionados ao mercado atacadista de produtos agrícolas de Xinfadi de Beijing foram curadas, anunciou a comissão municipal de saúde nesta sexta-feira.

Desde o ressurgimento da COVID-19 em 11 de junho, todos os casos confirmados vinculados ao mercado atacadista de Xinfadi foram tratados no Hospital Ditan em Beijing. Cento e cinco médicos de outros hospitais juntaram-se ao trabalho de tratamento. Nenhum profissional da saúde foi infectado. O Hospital Ditan foi liberado das medidas de quarentena epidêmica e retomou gradualmente a operação normal.

Foto: Reinhard Krause/Reuters

Os testes para detecção do novo coronavírus serão obrigatórios na Alemanha a partir do próximo sábado para todos os viajantes que retornam de áreas consideradas de alto risco, incluindo o Brasil, informou hoje o Ministro da Saúde, Jens Spahn. O plano de obrigar a realização dos testes já havia sido aprovado na semana passada, mas a data ainda não havia sido definida.

De acordo com o novo regulamento, os viajantes terão que apresentar um teste realizado nas últimas 48 horas no local de entrada no país, seja aeroporto, estação ferroviária ou terminal de ônibus, ou dentro de três dias em qualquer um dos locais preparados para esse fim. O viajante será colocado em quarentena até que o resultado do teste seja divulgado, o que pode levar até dois dias. Quem descumprir a lei pode ser multado em até 25 mil euros.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 53 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

O que é a Lei da Pandemia?

Lei 14.010/2020 possui normas de caráter transitório e emergencial aplicáveis ao período da pandemia, fixado entre 20/03 e 30/10/20