13 de agosto de 2020

Observatório do Coronavírus #194

ANS determina que planos de saúde têm que cobrir testes rápidos para coronavírus. Medida começa a valer nesta sexta-feira.

Foto de capa: Prefeitura de Jundiaí/Reprodução

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) decidiu nesta quinta-feira (13/08) que os planos de saúde têm de cobrir os testes sorológicos para o novo coronavírus. A medida vale a partir desta sexta-feira (14/08). O teste, chamado teste rápido para o novo coronavírus, detecta a presença dos anticorpos IgA, IgG ou IgM no sangue do paciente, produzidos pelo organismo após exposição ao vírus.

Segundo a ANA, o procedimento “passa a ser de cobertura obrigatória para os beneficiários de planos de saúde a partir do oitavo dia do início dos sintomas, nas segmentações ambulatorial, hospitalar e referência, conforme solicitação do médico assistente.”

Foto: Instituto Vital Brasil/Divulgação

Trabalhos iniciados em maio deste ano por pesquisadores brasileiros de várias instituições científicas verificaram que soros produzidos por cavalos para o tratamento da covid-19 têm, em alguns casos, até 100 vezes mais potência em termos de anticorpos neutralizantes do vírus gerador da doença. A informação foi dada à Agência Brasil pelo coordenador do projeto, Jerson Lima Silva, do Instituto de Bioquímica Médica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Ele apresentará os resultados dos estudos nesta quinta-feira 13 à noite, durante simpósio sobre covid-19 na Academia Nacional de Medicina (ANM). Na ocasião, Lima Silva anunciará também o depósito de patente para garantia do processo tecnológico produzido no Brasil e a submissão de publicação no MedRxiv, que é um repositório de resultados preprint, ou seja, pré-publicados. Silva é também presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj).

Foto: Sirli Freitas

Uma amostra de asas de frango congeladas importadas do Brasil, apresentou resultado positivo para o novo coronavírus, segundo comunicado do governo chinês divulgado nesta quinta-feira. A amostra foi retirada da superfície do frango. Outras amostras de comida congelada que tiveram o resultado positivo para o vírus tinham material recolhido da superfície das embalagens.

O frango brasileiro veio de um frigorífico do sul de Santa Catarina. A contaminação do alimento pode provocar queda das exportações brasileiras para a China. Em julho, a China encontrou vestígios de coronavírus em pacotes de camarão do Equador.

Foto: EPTV/Reprodução

A obesidade é um fator importante de agravamento da Covid-19 e pode aumentar em até quatro vezes o risco de morte, principalmente em homens e pessoas com menos de 60 anos, de acordo com pesquisa publicada na revista “Annals of Internal Medicine”.

Os médicos e cientistas da Califórnia, nos Estados Unidos, analisaram os dados de aproximadamente 5.600 pacientes que tiveram o teste positivo para o novo coronavírus entre fevereiro e maio deste ano. O risco causado pela obesidade foi ajustado no estudo, com uma exclusão de fatores extras como diabetes, hipertensão, problemas cardíacos, entre outros. Dados de mulheres grávidas também foram excluídos da pesquisa.

Os resultados mostraram que os pacientes obesos tinham até quatro vezes mais chance de morrer pela doença, especialmente homens e menores de 60 anos com Índice de Massa Corporal (IMC) elevado. A contagem do desfecho dos casos foi feita 21 dias após o início da infecção.

Quase 6% da população da Inglaterra provavelmente foi infectada pela covid-19 durante o pico da pandemia, disseram pesquisadores que estudam a prevalência das infecções nesta quinta-feira, o que representa milhões a mais que o número de pessoas que tiveram testes positivos para a doença.

No entanto, um estudo que testou se 100 mil pessoas ao redor da Inglaterra tinham anticorpos contra o coronavírus mostrou que quase 6% das pessoas os tinham, sugerindo que 3,4 milhões de pessoas contraíram covid-19 até o final de junho. Os resultados são consistentes com os de outras pesquisas, como aquelas conduzidas pelo ONS (Escritório Nacional de Estatística, em inglês), que sugeriu níveis mais elevados de covid-19 na comunidade durante a pandemia do que o indicado pelos dados de testagem diária.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 55 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #139

Brasil possui dois estudos possíveis de vacinas contabilizados pela OMS; Governo de SP anuncia testagem de mais de 233 mil pessoas em situação de vulnerabilidade

Observatório do Coronavírus #133

Brasil se torna 2º lugar em ranking mundial de óbitos; Especialistas afirmam que medidas continentais do país são desafio para controle da pandemia

Observatório do Coronavírus #177

Pesquisadores afirmam que Brasil chegou ao platô na curva de contágio por COVID-19. Vacina produzida pela Moderna apresenta bons resultados contra mutação mais comum do coronavírus.