14 de agosto de 2020

Observatório do Coronavírus #195

Brasil se ausenta de reunião na qual China anuncia R$5 bilhões para vacinação na América Latina. Especialistas afirmam que país mantém platô de óbitos por COVID-19 desde maio.

Foto de capa: Divulgação/Instituto Butantan

O governo brasileiro faltou a uma reunião entre chanceleres latino-americanos e a China, quando Pequim anunciou um financiamento de US$ 1 bilhão aos governos da região para a compra de vacinas chinesas, mais de R$ 5 bilhões. As informações foram dadas pelo governo do México que, ao lado dos chineses, eram os anfitriões do encontro a qual o Brasil foi convidado. A declaração final foi assinada pelas maiores economias latino-americanas, com governos de direita ou de esquerda. 

Além dos anfitriões mexicanos, fizeram parte da reunião no dia 22 de julho os chanceleres da Argentina, Colômbia, Peru, Chile e Uruguai.Também estiveram no encontro Barbados, Costa Rica, Cuba, República Dominicana, Equador, Panamá e Trinidad e Tobago. 

O governo do México informou à coluna que não saberia dizer o motivo pelo qual o Ministério das Relações Exteriores optou pela ausência, já que não houve uma explicação formal por parte de Brasília. Procurado em duas ocasiões, o Itamaraty se manteve em silêncio sobre o assunto. O Ministério da Saúde também não explicou a ausência do governo e disse que a consulta deveria ser realizada à chancelaria.

Foto: Bruno Concha

O Brasil mantém um platô da curva de mortes por Covid-19 desde o final de maio, uma característica inédita na pandemia mundial. Os especialistas ainda estimam que a tendência permaneça por um longo período. Ontem, a média móvel de novas mortes registradas no país foi de 995,7.

O cálculo de média móvel considera os dados dos últimos sete dias divididos por sete, ou seja neutralizam as subnotificações tradicionais que ocorrem aos finais de semana ou feriados, quando as secretarias de saúde funcionam em esquema de plantão e demoram a atualizar novos casos e óbitos.

Foto: Divulgação/Governo do Pará

Após prefeituras do ABC terem afirmado que não devem retomar as aulas presenciais neste ano letivo, o Sieeesp (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino do Estado de São Paulo) ameaça entrar na Justiça caso municípios com autorização para reabrir as unidades optem por mantê-las fechadas. Na capital, o prefeito Bruno Covas informou que escolas públicas e privadas vão abrir na mesma data.

Segundo o plano estadual de flexibilização da quarentena, as regiões que estiverem na fase amarela — caso da capital — por ao menos 28 dias poderão retomar atividades como aulas de reforço e recuperação já no próximo mês, em 8 de setembro. A previsão é de que as aulas presenciais retornem em 7 de outubro.

Foto: Shutterstock

As Filipinas impuseram uma proibição temporária às importações de carne de frango do Brasil nesta sexta-feira (14/08) depois que uma cidade na China disse ter encontrado traços do novo coronavírus em um carregamento de asas de frango produzidas no país.

O Brasil, maior exportador global de carne de frango, responde por cerca de 20% das importações do produto das Filipinas. De janeiro a julho, o país vendeu US$ 31,4 milhões aos filipinos, cerca de 50,3 mil toneladas, o que representa cerca de 2% das exportações brasileiras no período.

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, anunciou nesta sexta-feira (14) a ampliação por pelo menos 12 dias do novo confinamento em Auckland, após a detecção de casos de Covid-19 na maior cidade do país e localidades próximas.

“O governo aceitou manter as medidas atuais durante 12 dias adicionais, o que eleva o total a duas semanas completas”, declarou Ardern.

Desde que quatro pessoas testaram positivo para Covid-19 na terça-feira, acabando com 102 dias sem contágios de transmissão local no país, a Nova Zelândia detectou um foco de 30 novos casos.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 60 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas