17 de agosto de 2020

Observatório do Coronavírus #198

Governo da Bahia assina acordo com grupo chinês de vacinas para participar de estudos clínicos. HC de São Paulo destina ambulatório para casos de reinfecção.

Foto de capa: Ted Warren/AP

O Governo do Estado da Bahia assinou um memorando de entendimento com o Grupo Nacional Biotecnológico da China (CNBG), ligado à China National Pharmaceutical Group (Sinopharm), responsável pela produção de duas vacinas experimentais contra o novo coronavírus. O acordo tem o objetivo de inserir a Bahia e a região Nordeste nos estudos clínicos de fase três, que vão ser conduzidos internacionalmente.

De acordo com o governo, um acordo comercial será estabelecido entre o órgão, através da Bahiafarma e o CNBG, para distribuição da vacina no país, caso os resultados positivos se confirmem.

O governo informou ainda que a vacina chinesa segue o tradicional modelo de emprego de vírus inteiro inativado. Na quinta-feira (13/08), os resultados preliminares dos estudos de fase I e II, que apontaram que ela teve uma baixa taxa de reações adversas e demonstrou ser capaz de gerar imunogenicidade, foram publicados na revista médica JAMA, uma das mais importantes do mundo.

Foto: Governo de SP

O Hospital das Clínicas de São Paulo (HCFMUSP), no centro da capital paulista, destinou um ambulatório para acompanhar possíveis casos de reinfecção pelo novo coronavírus.

De acordo com o HC, até a manhã desta segunda-feira (17/08), quatro pacientes tinham procurado a unidade com suspeita de nova contaminação. O espaço começou a funcionar exclusivamente para atender tais pacientes no final de julho. Para verificar as hipóteses, os pacientes serão testados para outros vírus que possam explicar o surgimento dos sintomas pela segunda vez, além de outros procedimentos.

Foto: China Daily

O governo da China concedeu a primeira patente de vacina para a Covid-19 do país à farmacêutica CanSino, informou ontem o Diário do Povo. O jornal publicou documentos da Administração Nacional de Propriedade Intelectual da China que afirmam que a patente foi concedida no dia 11 de agosto.

A vacina da CanSino, Ad5-nCoV, é uma das principais candidatas chinesas na busca de uma vacina para a doença causada pelo novo coronavírus. No mês passado, a empresa anunciou que pretendia lançar estudos de fase 3 da imunização no Brasil, na Rússia, no Chile e na Arábia Saudita.

Foto: Divulgação

Milhares de chineses participaram de uma grade festa de música eletrônica no fim de semana em um parque aquático em Wuhan, o que gerou polêmica nesta segunda-feira nas redes sociais. Na província de Hubei não são registrados novos casos desde maio e as autoridades oferecem entradas gratuitas para 400 pontos turísticos.

Depois de ser submetida a uma quarentena rigorosa de 76 dias entre janeiro e abril, sendo a primeira cidade em que essas medidas foram aplicadas devido à pandemia, a metrópole foi gradativamente retirando as restrições e voltou à normalidade. O Maya Beach Water Park ficou lotado e milhares de pessoas dançaram aglomeradas ao ritmo da música eletrônica, sem usar máscaras. Muitas também tomaram banho de piscina, sem manter a distância de segurança.

O governo italiano anunciou neste domingo o fechamento das discotecas e a obrigação do uso de máscara à noite em locais públicos, para evitar uma segunda onda da pandemia do novo coronavírus. O ministro da Saúde, Roberto Speranza, assinou um decreto que entrará em vigor amanhã e que torna obrigatório o uso da máscara entre 18h e 6h em locais públicos onde se “formam grupos”.

O decreto também suspende o funcionamento das discotecas ao ar livre, já que os locais de festa em espaços fechados não haviam sido autorizados a retomar as atividades. A medida permanecerá em vigor pelo menos até 7 de setembro e foi anunciada após várias divergências entre o governo central e as autoridades regionais a respeito das restrições que deveriam ser aplicadas no setor de lazer noturno, que emprega quase 50.000 pessoas.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 23 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente, o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #135

Governo federal já recebeu 135 milhões de máscaras cirúrgicas compradas da China; SP estabelece regras para proteger entregadores e consumidores de delivery