7 dez 2020

Observatório do Coronavírus #255

Vacinação contra COVID-19 em São Paulo começará no dia 25 de janeiro

O governo de São Paulo disse hoje que o plano de vacinação com a CoronaVac começa no dia 25 de janeiro de 2021. O primeiro grupo a receber a vacina contra o coronavírus engloba profissionais de saúde, indígenas e quilombolas de todo o estado. Segundo o anúncio, a primeira fase da vacinação será voltada ao grupo prioritário, que também inclui idosos com 60 anos ou mais, e dividida em cinco etapas. De acordo com o governo, 9 milhões de pessoas serão vacinadas nessa primeira fase.

Produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, a vacina ainda está na terceira fase de teste, em que a eficácia precisa ser comprovada antes de ser liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A vacinação contra a covid-19 começará a ser realizada no Reino Unido a partir de amanhã (08), de acordo com o ministro da Saúde inglês, Matt Hancock. Na semana passada, o governo britânico já havia comunicado a aprovação do imunizante desenvolvido pela farmacêutica americana Pfizer em parceria com o laboratório de biotecnologia alemão BioNTech. O ministro destacou que o início da imunização da população, chamado de “Dia V”, representará um “momento histórico”. Neste primeiro momento, a campanha de vacinação priorizará idosos maiores de 80 anos, profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra o novo coronavírus, residentes e funcionários de asilos. Além disso, segundo os jornais britânicos Sunday Times e Mail on Sunday, a rainha Elizabeth II, 94, e o príncipe Philip, 99, deverão ser um dos primeiros a serem vacinados por causa das idades avançadas.

Na última semana foi relatada a ocupação de mais de 80% dos leitos de UTI reservados à COVID-19 de cinco estados brasileiros: Amazonas, Espírito Santo, Paraná, Rio de Janeiro e Pernambuco.

No estado do Amazonas e Espírito Santo, de acordo com dados do boletim da secretaria estadual de saúde, a taxa de ocupação está acima de 81% de leitos adultos de UTI para a nova doença na rede pública. Em Pernambuco, os leitos já estão 85% ocupados para pacientes suspeitos e confirmados de COVID-19, e também para quem adquiriu a Síndrome Respiratória Aguda (SRAG).

No Rio de Janeiro e Paraná, a taxa de ocupação está em 87% e na rede privada, os números também vêm demonstrando aumento, de acordo com dados da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), obtidos entre os dias 20 a 27 de novembro. A taxa de ocupação dos leitos destinados à COVID-19, com base em 33 hospitais de diversas regiões do Brasil, chegou a quase 75%.

A médica americana Dena Grayson, especialista em doenças infecciosas, alertou nesta semana para a possibilidade de homens sofrerem de disfunção erétil após se recuperaram da covid-19. Grayson atribuiu a possibilidade ao fato de a doença comumente causar problemas vasculares nos pacientes. No início de julho, o ator americano Nick Cordero morreu aos 41 anos após ter complicações em decorrência da covid-19 e ter que amputar uma perna por problemas de circulação

Os problemas vasculares podem atingir qualquer vaso sanguíneo do corpo humano. Eles fazem com que a circulação seja afetada, principalmente de braços, pernas, pés e cabeça. “Isso é algo realmente preocupante. Não é apenas que esse vírus pode matar, mas pode realmente causar complicações de longo prazo, ao longo da vida”, acrescentou a médica.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 26 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 267 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 3,5 milhões de casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com quase 113 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente, o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #150

Organizações doam toneladas de alimentos produzidos por comunidades quilombolas à bairros pobres atingidos pela COVID-19. América Latina é a mais afetada pela perda de horas de trabalho no mundo.