9 de abril de 2020

Observatório do Coronavírus #67

Coronavírus já infectou mais de 1,5 milhão de pessoas em todo o mundo; EUA lideram ranking de países com mais infectados, enquanto Brasil ocupa o 14º lugar

Foto de capa: Rahel Patrasso / REUTERS
 

Ouça a matéria:

O coronavírus atingiu a marca de 1,5 milhão de pessoas infectadas em todo o mundo. Os Estados Unidos seguem como o país com mais casos confirmados da doença. Até o momento, mais de 432 mil pessoas infectadas e 15 mil mortes foram registradas. Por dois dias consecutivos, os EUA tiveram quase duas mil mortes em um prazo de apenas 24 horas. 

O 2º país com o maior número de infectados é a Espanha, com mais de 150 mil casos. Mais de 15 mil morreram e 52 mil já se recuperaram. O governo espanhol pretende estender as medidas de isolamento no país até 26 de abril.

A Itália, que chegou a liderar o número de óbitos em decorrência da COVID-19 no mundo no mês de março, pode começar a suspender gradualmente algumas restrições em vigor até o fim de abril. A condição é que a disseminação da doença continue a diminuir, disse o primeiro-ministro, Giuseppe Conte.

O Brasil ocupa atualmente o 14º lugar no ranking mundial de pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Vinte dias atrás, o país estava bem mais atrás, em trigésimo. Em novo balanço divulgado na tarde desta quinta-feira, o Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta confirmou 17.857 pacientes infectados e 941 óbitos em decorrência da doença. A taxa de letalidade atualmente é de 5,3%, mas muitos fatores podem influenciar, como os casos de subnotificação por ausência de testagem para o vírus.

Um grupo de pesquisadores europeus fez um alerta para a falta de credibilidade de previsões sobre a pandemia. Os profissionais afirmam que algumas das predições, baseadas em levantamentos frágeis em sua maioria, podem levar a enganos. O desejo por respostas diante da pandemia do novo coronavírus para ajudar governos a adotarem as melhores medidas de combate à doença faz cientistas publicarem dados de pesquisa a toque de caixa.

De acordo com um artigo publicado na revista The British Medical Journal, os pesquisadores analisaram 31 modelos usados em 27 estudos para detectar e diagnosticar a infecção. Em todos esses modelos foi encontrado um alto risco de presença de resultados tendenciosos. A falta de uma amostra representativa de pacientes nas pesquisas, a exclusão de participantes no meio dos experimentos e análises estatísticas insuficientes são as principais causas apontadas pelos autores do artigo.

A cloroquina/hidroxicloroquina, medicamento estudado por vários países para tratamento de pacientes com sintomas da COVID-19, não possui eficácia cientificamente comprovada para este fim. Os testes clínicos já realizados suscitaram diversos debates. Apesar de alguns casos de pessoas que foram “curadas” com a medicação, pesquisas mostram que há casos de efeitos colaterais graves. A cloroquina é usada no tratamento da malária, da artrite reumatoide e da lúpus, e é vista por muitos governantes, como Donald Trump e Jair Bolsonaro, como a solução para a COVID-19.

O Ibrachina publicou hoje uma matéria listando as substâncias e medicamentos já existentes para outras doenças que passam por testes clínicos em diferentes países para entender sua eficácia no tratamento de pacientes com o coronavírus. 

O governo brasileiro começou a pagar hoje o auxílio emergencial de R$600 para trabalhadores informais que viram os seus rendimentos caírem por conta do fechamento de empresas em todo o país. Os primeiros a receber são os trabalhadores que já têm conta poupança na Caixa ou conta corrente no Banco do Brasil e estavam registrados no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. 

O governo iniciou uma movimentação para marcar uma conversa entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para discutirem a preocupação com o orçamento e a aprovação de ajuda econômica em meio à pandemia do coronavírus. Um projeto de ajuda financeira aos estados para mitigar a queda na arrecadação de impostos em razão da crise do coronavírus está em desenvolvimento neste momento, mas a falta de um consenso sobre as propostas adiou sua votação para semana que vem.

Fechando o boletim de hoje, uma boa notícia: uma idosa de 95 anos foi a primeira paciente infectada pelo coronavírus a ter alta em um hospital de Santos, no litoral de São Paulo. A idosa ficou internada durante uma semana com fortes sintomas da doença e, no dia da alta, toda a equipe médica preparou uma surpresa para que o momento fosse especial.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS NO BRASIL EM TEMPO REAL

Mapa de casos no país atualizado em tempo real
Calculadora de pressão assistencial por Estado - A calculadora permite estimar a pressão assistencial esperada em função de incremento de necessidade de internações pelo COVID-19. Todos os parâmetros abaixo podem ser ajustados para melhor refletir a sua realidade local. Uma vez ajustados a simulação considera os novos parâmetros escolhidos para estimar a taxa de ocupação de leitos em cada município

LINKS RELACIONADOS

FAKE NEWS

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Foto: Andrea Rego Barros/PCR/Via Fotos Públicas

Observatório do Coronavírus #69

Brasil ultrapassa os mil óbitos em decorrência do coronavírus; ministro-conselheiro chinês afirma que China ofereceu envio de médicos ao Brasil para ajudar no combate à epidemia

Observatório do Coronavírus #224

Governador de SP afirma que CoronaVac se mostrou segura em 94,7% dos testes realizados com voluntários. Manaus pode ter alcançado a imunidade de rebanho contra COVID-19.