Hospital de Cuidados Intensivos foi inaugurado na sexta-feira no Maranhão - Foto: Antonio Fonseca

1 de maio de 2020

Observatório do Coronavírus #89

Maranhão será o primeiro Estado do Brasil a adotar lockdown; Vacina brasileira para COVID-19 começa a ser testada em animais nas próximas semanas

Foto de capa: Antonio Fonseca

Ouça a matéria:

Para tentar conter os efeitos da pandemia, o Maranhão vai adotar o primeiro “lockdown” do país: a medida, que é a maior restrição possível na circulação de pessoas em um território, já foi adotada na China, Espanha e Itália. Os bloqueios começam na próxima terça-feira (5/5) em São Luís, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa.

A medida foi determinada pela Justiça, a partir de ação do Ministério Público do Maranhão, após um levantamento constatar ritmo elevado de crescimento do coronavírus no estado. O governador Flávio Dino informou que seguirá a medida. De acordo com a decisão, ficarão suspensas todas as atividades não essenciais à manutenção da vida e da saúde, com exceção de serviços de alimentação, farmácias, portos e indústrias que trabalham em turnos de 24 horas.

No Rio de Janeiro, foi inaugurado um hospital de campanha no Complexo do Riocentro para atender, exclusivamente, pacientes com o vírus. A unidade, entretanto, ainda tem 400 leitos a menos que a capacidade total e não terá todos os equipamentos necessários para tratar os casos mais graves da doença. Nesse primeiro momento, apenas 100 leitos estão disponíveis, sendo 20 de UTI. A Prefeitura do Rio não informou exatamente quando a unidade estará funcionando por completo.

O prefeito Marcelo Crivella disse na manhã de hoje que avalia a possibilidade de endurecer as medidas de isolamento social no Rio. Uma delas seria a de multar empresas que permitirem acesso de pessoas sem máscaras de proteção facial.

O estado do Rio de Janeiro confirmou mais 60 mortes por coronavírus nas últimas 24 horas, chegando ao total de 854 óbitos. O aumento em um dia foi o segundo maior desde a confirmação do primeiro caso da doença no estado, em 5/3, e fica atrás apenas do recorde de 61 mortes registrado na última terça-feira (28/4).

Os casos suspeitos e confirmados de COVID-19 na cidade de São Paulo sofreram uma aceleração, registrada pela Prefeitura a partir do dia 23/4. Na última segunda-feira (27/4), o número chegou à marca de 3,1 mil registros diários. Entre o dia 26/2, quando a capital teve o primeiro caso confirmado, até o dia 23/4, a Secretaria Municipal da Saúde contabilizou em média 812 notificações por dia.

O hospital de campanha montado no Complexo do Ibirapuera, na Zona Sul da capital, começou hoje a receber pacientes de COVID-19. A unidade funciona de portas fechadas e possui 268 leitos para casos menos graves. Ao longo do dia, pelo menos quatro ambulâncias entraram com pacientes na unidade.

O número de enterros na cidade de São Paulo até dia 22/4 foi 18% maior do que no mesmo período do ano passado. Com a pandemia do coronavírus, o número subiu para 6.171, informou o Serviço Funerário da Prefeitura de São Paulo. O Estado registrou 2.735 mortes pelo novo coronavírus e mais de 28 mil casos confirmados.

De acordo com dados do Ministério da Saúde divulgados nesta sexta-feira, o Brasil registrou 6.017 mortes provocadas pela COVID-19 e 87.364 casos confirmados da doença em todo o país.

 

Protótipo de vacina brasileira contra COVID-19 será testado em animais

O imunologista Gustavo Cabral, responsável por chefiar a pesquisa para desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus no Instituto do Coração da Faculdade de Medicina da USP, afirmou que a formulação da vacina para a COVID-19 já está bem adiantada. Os trabalhos in vitro também estão caminhando e partindo para os testes pré-clínicos em modelos animais nas próximas semanas. Em entrevista ao jornal El País, o imunologista contou que ele e sua equipe trabalham incessantemente no projeto.

Na China, pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia de Hong Kong desenvolveram um tipo de desinfetante que promete proteção contra vírus e bactérias em superfícies por até 90 dias, o que dura bem mais do que os produtos convencionais. Segundo os cientistas, a fórmula demorou dez anos para ser concluída e o seu uso já pode ajudar no combate ao novo coronavírus a partir da higienização de superfícies de contato. Testes clínicos foram feitos neste ano em um hospital de Hong Kong e um lar de idosos. O produto foi aprovado em fevereiro e deve começar a ser comercializado neste mês.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS NO BRASIL EM TEMPO REAL

Mapa de casos no país atualizado em tempo real
Calculadora de pressão assistencial por Estado - A calculadora permite estimar a pressão assistencial esperada em função de incremento de necessidade de internações pelo COVID-19. Todos os parâmetros abaixo podem ser ajustados para melhor refletir a sua realidade local. Uma vez ajustados a simulação considera os novos parâmetros escolhidos para estimar a taxa de ocupação de leitos em cada município
Gráfico do Ministério da Saúde de casos acumulados de pessoas infectadas e óbitos

LINKS RELACIONADOS

Dataprev informou que somente 52,1% das pessoas cadastradas para receber auxílio emergencial foram consideradas elegíveis para o benefício - Foto: Roosevelt Cassio/Reuters
Dataprev informou que somente 52,1% das pessoas cadastradas para receber auxílio emergencial foram consideradas elegíveis para o benefício - Foto: Roosevelt Cassio/Reuters

FAKE NEWS

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Observatório do Coronavírus #70

Favela em SP vira exemplo em ações contra epidemia; Especialistas apontam crise comportamental, sanitária e econômica no Brasil por coronavírus