8 de maio de 2020

Observatório do Coronavírus #96

Estudantes chineses de Wuhan retornam às aulas; França e Reino Unido anunciam relaxamento de medidas restritivas

Foto de capa: STR AFP

Ouça a matéria:

Os estudantes do último ano das escolas do ensino médio de Wuhan, cidade chinesa onde surgiu a epidemia de COVID-19, retornaram às aulas nesta semana com medidas que incluem o uso de máscaras, detectores de temperatura e distanciamento social.

Após quatro meses com os colégios fechados, do feriado prolongado do Ano Novo chinês e do confinamento provocado pelo coronavírus, os alunos retornaram com equipamentos de proteção individual e foram obrigados a passar por câmeras infravermelhas para detectar uma possível febre.

Nas últimas três semanas não foram registradas mortes na China. O balanço total do país indica mais de 82 mil casos e cerca de 4.600 óbitos.

Embora acumule 25.800 mortes e seja uma das nações mais afetadas na Europa, a França declarou que já houve progresso suficiente na contenção da doença e no amparo aos hospitais para que se possa começar a amenizar as restrições.

De acordo com o primeiro-ministro francês, Édouard Philippe, algumas regiões, incluindo a área de Paris, continuarão a ser “zonas vermelhas”. Nesses locais, o fim do isolamento nacional de quase dois meses será mais cauteloso. Em outras partes do país, cafés e restaurantes poderão abrir a partir do início de junho, se a taxa de infecção se mantiver baixa.

Os idosos e vulneráveis foram aconselhados a continuar observando o mesmo distanciamento do isolamento nos próximos meses, mas o premiê disse que isso não será obrigatório, ficando a cargo do bom senso.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, anunciará um afrouxamento muito limitado do isolamento no país na semana que vem, adotando uma abordagem cautelosa para impedir um segundo pico de infecções. Em uma reunião de gabinete com seus principais ministros, Johnson disse que o Reino Unido avançará “com o máximo de cautela” e será guiado pela ciência e pelos dados ao analisar se qualquer uma das medidas rigorosas de distanciamento social pode ser suavizada.

 

Coronavírus no Brasil

Embora existam cidades brasileiras flexibilizando aos poucos o isolamento durante a quarentena, um novo relatório do Imperial College de Londres, com foco específico no Brasil, recomenda ações mais duras para conter a expansão do novo coronavírus e evitar a sobrecarga do sistema de saúde. As secretarias estaduais de Saúde confirmaram no país mais de 140 mil casos do novo coronavírus, com 9.600 mortes.

O governador João Doria prorrogou a quarentena em todo o estado de São Paulo até o dia 31/5. O anúncio foi feito no início da tarde de hoje (8/5) em coletiva no Palácio dos Bandeirantes. Doria defendeu que a flexibilização das medidas restritivas, neste momento, prejudicaria não apenas o sistema de saúde, mas também a própria recuperação econômica do estado. Com a decisão, permanecem autorizados a funcionar apenas serviços essenciais. A ampliação do isolamento se deve ao aumento do número de casos e mortes em razão da pandemia.

Atualmente, são aproximadamente 3.400 óbitos confirmados por exame laboratorial, um aumento de 7% em relação aos números de ontem (7/5). O número de casos confirmados no estado é de 41.830, valor 5% superior ao registrado na quinta.

O governo do estado do Rio de Janeiro prevê fechar estradas e só permitir que pessoas saiam de casa — de máscara — para fazer compras. As medidas constam em um ofício enviado pelo governador Wilson Witzel ao Ministério Público. O órgão tinha cobrado do governo e da Prefeitura do Rio planos para conter o coronavírus.

Entre as determinações anunciadas pelo governador para o lockdown, estão:

  • O bloqueio de estradas;
  • A proibição expressa da circulação de pessoas e veículos particulares, com exceção das atividades de segurança, saúde, compras de gêneros alimentícios e entregas em domicílio;
  • A criação de um documento de autodeclaração para ser preenchido por toda pessoa que precise circular pelas ruas;
  • E o uso obrigatório de máscara para todos que tiverem que — justificadamente — circular pelas cidades do estado.

O governo do estado também mencionou, neste documento, estratégias para o fim do isolamento total, com medidas tanto para a saúde da população quanto para economia do Estado.

A prefeitura de Maringá, no norte do Paraná, deve publicar ainda hoje a autorização para a reabertura de shoppings e cerimônias religiosas, como missas e cultos. A confirmação foi dada pelo prefeito Ulisses Maia. Os shoppings já reabriram nesta sexta, das 11h às 20h. As cerimônias religiosas serão autorizadas a partir de domingo. As regras que serão exigidas em cada segmento para evitar a propagação do novo coronavírus ainda não foram divulgadas.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS NO BRASIL EM TEMPO REAL

Mapa de casos no país atualizado em tempo real
Calculadora de pressão assistencial por Estado - A calculadora permite estimar a pressão assistencial esperada em função de incremento de necessidade de internações pelo COVID-19. Todos os parâmetros abaixo podem ser ajustados para melhor refletir a sua realidade local. Uma vez ajustados a simulação considera os novos parâmetros escolhidos para estimar a taxa de ocupação de leitos em cada município
Gráfico do Ministério da Saúde de casos acumulados de pessoas infectadas e óbitos

LINKS RELACIONADOS

Governo do Distrito Federal decidiu adiar reabertura do comércio e demais atividades econômicas até 18/5 - Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles
Governo do Distrito Federal decidiu adiar reabertura do comércio e demais atividades econômicas até 18/5 - Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles

FAKE NEWS

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas