7 de junho de 2021

Pesquisas mostram resultados positivos sobre cura da Covid-19

Pesquisas publicadas no final da semana passada trazem esperança em relação à cura da Covid-19. Uma delas divulgada, pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, traz a descoberta de um potencial medicamento contra o novo coronavírus. O antiviral conhecido como TEMPOL poderia limitar a evolução do SARS-Cov2 ao restringir a atividade de uma determinada enzima. Agora, o medicamento potencial passará por testes para avaliar sua eficácia.

 

Outro estudo, desta vez publicado pela revista Nature, revelou que indivíduos que contraíram a doença de forma rápida e moderada desenvolvem uma célula imunológica capaz de produzir anticorpos contra o SARS-Cov-2. Segundo a pesquisa, é importante a observação de desenvolvimento da resposta imunológica completa, isto é, de glóbulos brancos capazes de eliminar o vírus meses após a infecção.

 

O Brasil registrou no domingo novos dados sobre a vacinação, aproximando-se de 49 milhões de pessoas vacinas com a primeira dose (23,13% da população brasileira). Com a segunda dose, são 22 milhões de pessoas (10,83% da população), segundo o balanço do consórcio de veículos de imprensa, com informações das Secretarias de Saúde. Mesmo com um elevado número de vítimas por coronavírus, e o avanço da doença, o Brasil deverá sediar a Copa América, organizada pela Conmebol, a qual ocorrerá em quatro cidades: Brasília, Goiânia, Rio de Janeiro e Cuiabá.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Foto: Marcos Serra Lima/ G1

Observatório do Coronavírus #80

No Brasil, 1,6 milhão de pessoas vulneráveis ao novo coronavírus vivem longe de hospitais com UTI; Cerca de 39% dos patrões dispensaram diaristas sem pagamento na pandemia

Observatório do Coronavírus #178

Governo do Paraná e da China estudam parceria para testagem e produção de vacina contra COVID-19. Especialistas brasileiros debatem quais grupos terão prioridade na vacinação.