12 de janeiro de 2021

Programa sino-brasileiro acelera aprovação de patentes

A previsão é de aceitar 150 pedidos por ano até 2024

O Instituto Nacional da Propriedade Industrial do Brasil (INPI) anunciou que aceitará até 150 pedidos de registro de patentes chinesas por ano. O acordo entre os países foi possibilitado através do Programa Via Rápida de Processamento de Patentes que prioriza processos junto aos órgãos reguladores dos dois países. A previsão é de receber 500 pedidos até o final de 2024.

De acordo com relatório da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI), a China ultrapassou os Estados Unidos tornando-se líder mundial de pedidos de patentes e marcas, desde 2017. Já o Brasil foi o país com o maior aumento de patentes registradas em 2019, ampliado em 22% ante 2018.

Para Thomas Law, presidente do Ibrachina, o acordo tem sinergia pelo fato do Brasil e da China possuírem economias complementares. “A parceria na proteção de marcas fortalece essa relação, tornando os dois países parceiros de destaque no mundo”, destaca.

Segundo o mais recente relatório da OMPI, divulgado em dezembro, a China submeteu 1,4 milhões de pedidos de novas patentes em 2019, mais do dobro do que os EUA. Porém, apenas 84.300 foram registradas no estrangeiro.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #215

Chile recebe equipe de cientistas chineses para testes com vacina contra coronavírus. Ministério da Saúde incentivará imunização, que não será obrigatória no Brasil.

Observatório do Coronavírus #99

Disney Xangai reabre e ingressos esgotam em minutos; Proliferação da COVID-19 na Amazônia quebra hipótese sobre baixa proliferação no calor