Folha de S. Paulo destaca nota de repúdio do Ibrachina sobre comunicado publicado pela FIEG

7 de fevereiro de 2020

Folha de S. Paulo destaca nota de repúdio do Ibrachina sobre comunicado publicado pela FIEG

Presidente da Federação, Sandro Mabel, criticou decisão do governo de Goiás de receber brasileiros que estavam em Wuhan

O jornal Folha de S. Paulo publicou nesta sexta-feira (7) um comunicado da Federação das Indústrias de Goiás – FIEG na qual o presidente Sandro Mabel critica o governo estadual por acatar decisão federal de instalação de uma base de quarentena em Anápolis para receber brasileiros que estavam em Wuhan, China, epicentro do surto do coronavírus. Mabel comparou a situação com o acidente radiológico com Césio-137 em Goiânia, em 1987. A publicação justifica que o Estado seria “prejudicado com a discriminação, impactando no turismo, nos negócios, com queda na produção e comercialização de produtos”.

O Ibrachina encaminhou ao jornal uma nota de repúdio sobre a declaração, enfatizando que o momento é de solidariedade, e não de segregação. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, cumprimentou o presidente Jair Bolsonaro pela operação.

 

Leia a matéria completa aqui!

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #119

Prefeitura de São Paulo prorroga quarentena na capital paulista por mais 15 dias; Parques temáticos europeus começam a reabrir e Disney Flórida anuncia que receberá visitantes a partir de julho

Hospital de campanha instalado no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, começa a receber primeiros pacientes Foto: Rachel Patrasso/Reuters

Observatório do Coronavírus #64

Governo de SP amplia quarentena em todo o Estado até 22 de abril; Ibrachina emite nota de repúdio contra declarações sinofóbicas do Ministro da Educação

Profissionais fazem limpeza de estações de metrô no Rio de Janeiro - Foto: Agência Globo

Observatório do Coronavírus #59

Ministério da Saúde estima grande desafio no enfrentamento ao coronavírus em abril, quando acontecerá pico de contágio; Pesquisadores brasileiros desenvolvem aparelhos médicos de baixo custo para ajudar hospitais