1 de agosto de 2020

Observatório do Coronavírus #182

Smartphones de brasileiros poderão receber alertas de exposição ao coronavírus. OMS registra novo recorde de infecções no mundo.

Foto de capa: Divulgação

O Ministério da Saúde anunciou ontem que atualizou o aplicativo Coronavírus-SUS para incluir o recurso de notificação de exposição de COVID-19. A tecnologia, desenvolvida por Apple e Google, permite que você descubra se teve contato com pessoas que testaram positivo nos últimos 14 dias para a doença causada pelo coronavírus.

A notificação de exposição (ou rastreamento de contato) se baseia no padrão Bluetooth Low Energy, presente na maioria dos celulares. A participação é anônima e voluntária; quem aceitar passará a ter um código de identificação e uma chave de rastreamento únicas. Pelo menos uma vez por dia, seu celular fará o download de uma lista de códigos de pessoas que testaram positivo. Por meio da tecnologia, é possível saber se você teve contato com alguém infectado pela doença nos últimos 14 dias e tomar as medidas necessárias.

Foto: Reuters

O mundo registrou um novo recorde diário de novos casos de coronavírus, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em 24 horas, foram 292.527 casos e 6.812 mortes. Brasil foi o que mais registrou casos e mortes. 

Outro recorde alcançado em julho foi em relação ao tempo recorde para o mundo registrar um milhão de novos casos: segundo uma contagem da agência de notícias Reuters, no dia 17, pela 1ª vez, houve um aumento de 1 milhão de casos em cerca de 100 horas.

Foto: Fernando Marron

Os efeitos econômicos da pandemia são sentidos com mais força entre os mais pobres. Muitas pessoas com trabalhos informais, como diaristas, ajudantes de pedreiro e empregadas – cerca de 40% da força de trabalho na maior economia da América Latina – praticamente perderam toda a sua renda quando as medidas de quarentena as impediram de trabalhar. Muitos países suspenderam os despejos de inquilinos nestes casos. Mas no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro vetou uma lei similar em junho. 

Em São Paulo, a maior cidade da América do Sul, mais de 2.500 famílias foram despejadas ou ameaçadas de despejo durante a pandemia, mesmo com as recomendações do governo para que todos permaneçam em casa. Desde que a pandemia começou, os novos sem-teto também começaram a invadir prédios e terrenos abandonados da cidade de São Paulo, numa difícil escolha entre pagar aluguel e alimentar a família.

Foto: JBS/Divulgação

O Ministério da Agricultura descartou fazer qualquer tipo de teste e emitir um certificado que comprove que a carne in natura produzida no Brasil é livre de coronavírus. Essa foi uma das exigências adotadas pela China sobre as empresas que exportam alimentos ao país.

A medida causou preocupação entre os frigoríficos brasileiros por não haver evidências científicas sobre o risco de contaminação. O país asiático é o maior parceiro comercial do Brasil e principal responsável pelo grande salto na venda de carnes no primeiro semestre.

Foto: Toby Melville/Reuters

Europeus lotaram as praias da região de Bournemouth, no Reino Unido, mesmo após o alerta da OMS que pediu maior responsabilidade por parte da população no combate à pandemia do novo coronavírus, já que a forma mais efetiva de evitar o vírus é manter o distanciamento social.

Em entrevista à emissora britânica BBC4, o diretor-regional da Organização Mundial da Saúde para a Europa, Hans Kluge disse que as autoridades nacionais devem melhorar suas estratégias de comunicação para transmitir suas mensagens sobre a pandemia aos jovens. Kluge afirmou que eles estão recebendo “informações de várias autoridades sanitárias” que detectaram “uma alta proporção de novas infecções entre os jovens”.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 52 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 167 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 1,1 milhão casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com mais de 53 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas