2 de dezembro de 2020

Observatório do Coronavírus #254

Ministério da Saúde divulga primeiras informações sobre plano de vacinação contra COVID-19. Reino Unido anuncia início da imunização para próxima semana.

Foto de capa: Visual China Group

O Ministério da Saúde informou que a vacinação contra a Covid-19 deve começar com os profissionais da área de saúde, idosos a partir de 75 anos ou maiores de 60 —mas que vivam em asilos ou instituições psiquiátricas— e com a população indígena. A delimitação do grupo prioritário consta em um plano preliminar, que foi divulgado pela pasta.

O ministério prevê quatro fases da vacinação da população no próximo ano, que não vai abranger toda a população brasileira, como já havia sido adiantado. A segunda fase da vacinação será destinada às pessoas que tenham entre 60 e 74 anos. A etapa seguinte prevê a imunização de pessoas com comorbidades que apresentam maior risco de agravamento da doença, como os portadores de doenças renais crônicas e cardiovasculares, cita o ministério.

A última etapa deve abranger professores, forças de segurança e salvamento, funcionários do sistema prisional e a população privada de liberdade.

O Reino Unido aprovou, nesta quarta-feira (02), a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelas farmacêuticas Pfizer e BioNTech e anunciou que prevê iniciar a vacinação na semana que vem. Um primeiro lote com 10 milhões de doses será disponibilizado pelo NHS, serviço público de saúde britânico, ainda em 2020.

Profissionais da saúde deverão estar entre os primeiros a serem vacinados, assim como idosos e pessoas vivendo em casas de repouso, incluindo funcionários. Por causa das condições de armazenamento da vacina – que precisa ser mantida a -70°C – as campanhas de vacinação serão feitas em hospitais.

O Japão vai fornecer, gratuitamente, a vacina contra a Covid-19 a seus 126 milhões de habitantes, conforme projeto de lei aprovado hoje, no momento em que o país enfrenta aumento de casos da pandemia. O projeto de lei, que prevê que o governo cobrirá todos os gastos com a vacina, foi aprovado pela Câmara Alta do Parlamento, após obter o aval da Câmara Baixa.

O Japão já fez um pedido inicial de vacinas para 60 milhões de pessoas da empresa farmacêutica Pfizer, e para outros 25 milhões de pessoas da empresa Moderna. O governo também confirmou que receberá 120 milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford. A adoção do projeto ocorre duas semanas depois de o primeiro-ministro japonês declarar que o país está em “alerta máximo”, após registrar um número recorde de novos casos de coronavírus.

A taxa de ocupação para Covid-19 nos hospitais particulares na cidade do Rio é de quase 100%. As UTIs na capital estão com 98% das vagas ocupadas. No estado, a ocupação nos leitos de enfermaria exclusivos para Covid-19 era de 40% na semana passada. Dados de hoje revelam que está em 70%. Nas UTIs, a taxa de ocupação era de 77% e agora subiu para 81%.

Especialistas da área de saúde da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) fizeram um alerta e assinaram uma nota técnica pedindo medidas urgentes para o combate ao crescimento dos casos de contaminação pelo novo coronavírus. Eles pedem que as praias fechem novamente, que seja aumentada a capacidade do transporte público e que haja uma fiscalização eficiente para os setores que estão abertos, como bares e restaurantes.

ACOMPANHE O STATUS DO CORONAVÍRUS EM TEMPO REAL

O gráfico oficial mais recente divulgado pelo Ministério da Saúde mostra que o número casos acumulados de pessoas infectadas pelo coronavírus no Brasil chega aos 50 mil em apenas 24 horas, em comparação com a avaliação feita no dia anterior. No site é possível ver também o número de óbitos e de pessoas recuperadas da COVID-19.
O panorama geral feito pela Universidade John Hopkins, dos EUA, mostra que foram identificados mais de 267 mil novos casos de infectados pelo coronavírus no mundo em apenas 24 horas. EUA lideram os rankings de confirmados, seguido pelo Brasil, com mais de 3,5 milhões de casos. Em relação ao número de óbitos, o Brasil ocupa atualmente o 2º lugar no ranking mundial, com quase 113 mil óbitos.

FAKE NEWS

Diariamente, o Observatório do Coronavírus publica esclarecimentos sobre as mais recentes fake news divulgadas nas redes sociais e aplicativos de mensagens. Confira:

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas

Observatório do Coronavírus #120

SP começou hoje a flexibilização da quarentena em várias cidades do estado; Prefeitura do Rio de Janeiro decreta medida a partir de amanhã

Observatório do Coronavírus #140

Pesquisa brasileira busca desenvolvimento de tecido com propriedades antivirais para aumentar proteção contra coronavírus. Europa avança em processo de reabertura de fronteiras, enquanto impactos da pandemia crescem na América Latina