3 de junho de 2020

Volta às aulas: como os países estão reabrindo as escolas pós-quarentena?

Conheça algumas das medidas adotadas por países que decretarem o afrouxamento do isolamento social para prevenir uma nova onda de contaminação na volta às aulas

Foto de capa: YONHAP/EPA-EFE

Nas escolas de países que decretaram o afrouxamento do isolamento social as aulas começam à voltar ao normal. Estudantes e funcionários devem adotar rígidas medidas de prevenção para evitar uma nova onda de contaminação. Entre elas estão a desinfecção dos espaços,  instalação de tendas de desinfecção dos alunos na entrada, o controle de temperatura, o uso de máscaras, a lavagem de mãos e instalação de torneiras, grupos menores de alunos, o distanciamento, estabelecimento de horários diferentes de entrada e saída, arejar a salas e afastar professores do grupo de risco.

Conheça abaixo as medidas que se destacam em cada país:

China

Na China, escolas instalaram tendas de desinfecção por onde os estudantes precisam passar antes de entrarem na escola. Os estudantes também passam por checagem sistemática de temperatura corporal.

Em Pequim, pulseiras inteligentes que fazem essa medição em tempo real estão sendo testadas. Os pais monitoram a situação por meio de um aplicativo. Caso a temperatura passe de 37ºC, um alerta é enviado para os professores, que são orientados a alertar a polícia.

As crianças utilizam máscaras o tempo todo, inclusive dentro da sala de aula. Para mantê-los afastados, uma escola da província de Shanxi propôs uma solução lúdica, feita com asas de papelão, para lembrar os pequenos da distância que precisam ficar uns dos outros.

Os professores do ensino médio tiveram amostras coletadas por médicos para testes, e casos suspeitos foram impedidos de lecionar.

Coreia do Sul

Assim como na China, os estudantes coreanos passam por checagem sistemática de temperatura corporal ao chegarem à escola.

Em Seul, os jardins de infância e escolas do ensino básico, fundamental e médio poderão receber apenas um aluno a cada três e os demais terão que seguir com o ensino a distância. Os que frequentam as salas de aula adotam paredes acrílicas para evitar que gotículas da fala sejam trocadas entre si e entre eles e professores.

Entretanto, mais de 200 escolas foram fechadas no país na última sexta-feira (29/05) dias após reabrirem, devido ao surgimento de novos casos de contaminação. Com isso, Seul adotou novas medidas para evitar a transmissão de casos, como limitar o número de alunos por sala, enquanto os demais ficam em casa, aprendendo por atividades remotas.

Dinamarca

A Dinamarca é uma exceção à regra sobre a utilização de máscaras de proteção para evitar a contaminação. No país não existe a recomendação para utilização do equipamento nem mesmo em ambientes públicos.

O incentivo à higiene e lavagem de mãos é constante nas escolas que voltam às aulas. Na Dinamarca, as escolas chegaram a instalar torneiras fora dos edifícios para que as crianças lavem as mãos quando chegam à escola.

As turmas, que têm entre 20 e 28 alunos, foram divididas para que os alunos possam interagir apenas dentro desse espectro menor. Em geral, as salas de aula foram reorganizadas de maneira que as mesas dos alunos fiquem a pelo menos um metro de distância entre elas. O professor deve ficar a dois metros do estudante que senta mais próximo dele.

Além dos horários variados, novos portões estão sendo utilizados para que a entrada e saída dos grupos não coincidam. Os pais também são orientados a se despedir dos filhos fora da escola e devem pedir permissão, caso necessitem entrar no estabelecimento.

Mesmo com todas as medidas de restrição, houve protestos de pais pouco antes da reabertura de escolas no país.

França

Medidas extras de limpeza são uma recomendação comum. As orientações do Ministério da Educação francês contêm inclusive quais produtos a serem utilizados para desinfecção das escolas e a frequência da higienização: o chão deve ser limpo uma vez por dia enquanto maçanetas, sanitários e interruptores devem ser higienizados várias vezes.

As crianças menores estão dispensadas do uso de máscaras de proteção. No entanto, a escola deve ter equipamento à disposição dos alunos caso eles apresentem sintomas durante as aulas e estejam aguardando para serem retirados.

As mesas dos alunos foram dispostas a 1 metro de distância entre elas. As janelas devem permanecer abertas antes das aulas, durante o intervalo e depois da partida dos alunos.

Assim como a Coreia do Sul, o país precisou fechar 70 escolas que registraram casos de coronavírus, uma semana depois da reabertura de cerca de 40 mil estabelecimentos.

Portugal

Centros educacionais portugueses receberam cerca de 17 mil litros de desinfetantes e outros equipamentos de proteção e higiene. A desinfecção das escolas ocorre antes dos alunos chegarem e durante a permanência deles. A lavagem das mãos ao entrar e sair da escola é uma obrigação para alunos e professores

Para evitar aglomerações, os alunos estão sendo organizados em grupos que terão horários de aula, intervalos e períodos de alimentação diferentes entre si, para minimizar o contato. Além disso, o uso de máscaras de proteção é obrigatório para todos.

Os pais que optaram por manter as crianças em casa seguirão recebendo auxílio financeiro do governo. Os demais estudantes seguirão com as aulas a distância, através de plataformas virtuais e televisão.

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Notícias relacionadas