Conheça os novos projetos de cidades futurísticas da China

Novas propostas têm a sustentabilidade e a auto-suficiência como pontos centrais para integração do homem com a natureza e a tecnologia

Foto de capa: Bjarke Ingels Group/Divulgação

A cidade chinesa de Chongqing abrigará um dos primeiros projetos de “cidade futurística” do país asiático. O complexo denominado AI CITY, projetado pela empresa de arquitetura dinamarquesa Bjarke Ingels Group (BIG), simula uma pequena cidade com um design moderno, marcado por áreas verdes que se misturam à paisagem montanhosa da região.

A proposta foi dividida em dois terrenos com área total de 75 mil m², pensados para serem opostos entre si. Além deste espaço central, a proposta também contempla outras quadras com edifícios de uso exclusivamente comercial. De acordo com o fundador do BIG, Bjarke Ingels, a pequena cidade futurística fará com que pessoas, tecnologia e natureza prosperem juntos.

A sustentabilidade é um dos pontos centrais do projeto de cidade futurística. Durante o dia, um telhado verde que se estende pelos dois complexos servirá como área ao ar livre aberta ao público. O acesso ocorrerá por meio de rampas e escadas que conectam o jardim ao pátio central do prédio. A noite, a área verde se iluminará, transformando-se no maior display digital da China. A estrutura protegerá o prédio da forte exposição ao sol e das chuvas, sem perder a entrada de luz natural.

Um outro projeto de cidade futurística, feito pelo estúdio barcelonês Guallart Architects, foi apresentado para conferir auto-suficiência pós-covid na China. A proposta confere um estilo de vida adaptado para manter o conforto dos cidadãos mesmo durante longos períodos de confinamento. De acordo com os criadores, o modelo poderá ser aplicado em diferentes cidade ao redor do mundo e está previsto para ser construído na nova cidade Xiong’an.

O projeto feito majoritariamente com madeira é um híbrido dos tradicionais blocos urbanos europeus, as torres contemporâneas chinesas e uma paisagem agropecuária produtiva. O espaço proporciona aos residentes locais de moradia, trabalho e descanso, além de permitir que os recursos sejam produzidos localmente. A produção de energia e alimentação são integradas, juntamente com o tratamento da água e a reciclagem e materiais e resíduos.

Arquitetura chinesa contemporânea

A China transformou suas paisagens ao longo dos anos e trouxe elementos modernos às tradicionais silhuetas urbanas. Arquitetos desenham projetos cada vez mais ousados, garantindo reconhecimento internacional. Entre os marcos da arquitetura chinesa estão o Edifício Lotus (foto), a Torre Xangai, os Estúdios da CCTV e o Anel da Vida.

Edifício Lotus

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Veja também